FitBank passará a operar como instituição de pagamento

Fintech recebeu autorização do Banco Central e poderá disponibilizar tecnologia ao mercado, sem intermediação de terceiros

Redação
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Autorização permite à fintech entregar novas opções para o PIX

Acessibilidade


O FitBank, fintech provedora de infraestrutura de meios de pagamento, recebeu nesta terça-feira (5) autorização do Banco Central para operar como instituição de pagamento na modalidade emissor de moeda eletrônica. A medida tem como objetivo, permitir que a empresa passe a disponibilizar a tecnologia ao mercado sem a obrigação de firmar operações a partir de terceiros.

Em comunicado enviado à Forbes, Otavio Farah, CEO do FitBank, revela que a empresa já estava trabalhando nos últimos cinco anos com o foco de obter a autorização. Ele também falou sobre as perspectivas futuras da fintech com a permissão para atuar no no ramo financeiro eletrônico.  

LEIA MAIS:WhatsApp relança transferência de dinheiro no Brasil

“[A medida] nos permitirá entrar em novos mercados, ter soluções baratas e melhorar o nível de serviço que entregamos aos clientes pela independência tecnológica que ganhamos. Estamos com velocidade total para colocar no ar operações estáveis, confiáveis e com preço baixo. Parece difícil unir alta performance e qualidade com valor menor, mas a economia da tecnologia em nuvem alia os melhores serviços aos menores preços. Nossa estrutura foi desenvolvida para isso”, explica Farah.

Com a autorização, a fintech poderá entregar novas opções para o PIX, conta para recebimento, além da emissão de boletos diretamente pela própria marca. As operações para o mercado de capitais também passam a contar com novas funções, como conta escrow e outros serviços.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em março, o FitBank recebeu investimento da CSU em uma rodada de investimentos, que contou ainda com aportes dos acionistas e levantou R$ 30 milhões em recursos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: