Em meio a problemas de contratação e preços em alta, crescimento dos EUA ganha velocidade, diz Fed

As autoridades observam efeitos positivos sobre a economia do aumento das taxas de vacinação e de medidas de distanciamento social flexibilizadas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

Sede do Fed (Federal Reserve) em Washington, nos Estados Unidos

Acessibilidade


A recuperação econômica dos Estados Unidos acelerou nas últimas semanas, mesmo com uma longa lista de problemas na cadeia de suprimentos, dificuldades de contratação e aumento dos preços em cascata por todo o país, disseram autoridades do Fed (Federal Reserve, Banco Central dos EUA) em sua mais recente avaliação das condições econômicas.

O crescimento estava em uma “taxa um pouco mais rápida” do início ao fim de maio, informou o Fed em sua publicação “Livro Bege”, um compêndio de dados acerca da economia divulgado hoje (2), com autoridades observando “os efeitos positivos sobre a economia do aumento das taxas de vacinação e de medidas de distanciamento social flexibilizadas”.

LEIA TAMBÉM: Casa Branca diz que inflação é vista como fenômeno transitório

Mas fazer com que uma economia de US$ 20 trilhões volte a acelerar também traz desafios, informaram as autoridades do Fed com base em contatos de suas 12 regionais.

Construtoras não conseguiam acompanhar a demanda, fabricantes enfrentavam atrasos na entrega do material necessário para o acabamento dos produtos e “continuava difícil para muitas empresas contratar novos trabalhadores, especialmente trabalhadores de baixa remuneração pagos por hora, motoristas de caminhão e comerciantes qualificados“.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os preços estavam aumentando e, por enquanto, provavelmente continuarão subindo, informou o Fed.

“Olhando para o futuro, os contatos projetam enfrentar aumento de custos e cobrar preços mais altos nos próximos meses”, disse o Fed.

O Livro Bege ajudará nos debates na próxima reunião de política monetária do Fed, em junho, à medida que as autoridades aproximam-se de uma discussão sobre como e quando começarem a recuar em compras mensais de títulos, no valor de US$ 120 bilhões, além de taxas de juros próximas de zero fixadas para combater as consequências econômicas da pandemia.

As autoridades do Fed afirmam que provavelmente vão se esforçar, por vários meses, para obter uma leitura clara de uma economia que está ressurgindo, mas enfrentando alguns obstáculos à medida que acelera. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: