Forbes Radar: WDC, Petrobras, BR Partners, PetroRio e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (18), a Espaçolaser adquiriu três grupos franqueados responsáveis pelas operações no Pará, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Ceará e Piauí, por R$ 68,8 milhões, e a JBS fechou acordo de US$ 952 milhões por negócios da Kerry no Reino Unido, além de ter comprado a Vivera, terceira maior empresa de alimentos à base de plantas da Europa, por US$ 406,2 milhões.

No universo dos IPOS, a BR Partners precificou sua oferta em R$ 16 e pode levantar cerca de R$ 1,7 bilhão. Ao mesmo tempo, a Livetech da Bahia informou que selecionou os bancos para sua possível oferta e a Petrobras protocolou seu pedido que, além de poder levantar 11,5 bilhões, tem com meta vender toda sua fatia na BR Distribuidora.

Por fim, a MP da Eletrobras deu mais um passo e, apesar da disputa acirrada entre 42 votos favoráveis e 37 contrários, foi aprovada pelo Senado. No entanto, como o relatório modificou a proposta encaminhada pelos deputados, a medida provisória deve retornar à Câmara para uma segunda análise.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Ford (FDMO34)

A Ford Motor afirmou ontem (17) que vai comprar a Electriphi, que fornece ferramentas de gestão de carregamento e de frotas de veículos elétricos, parte de estratégia para ter 40% de seus veículos com motorização elétrica até 2030.

A norte-americana Electriphi tem uma plataforma que ajuda a monitorar em tempo real o status de veículos, carregadores e serviços de manutenção, além de prover eletrificação de frotas.

A Ford não revelou os termos do acordo que vai permitir à montadora oferecer soluções de carregamento de baterias para clientes que estão fazendo a transição de combustíveis fósseis para elétricos.

BR Partners

O BR Partners precificou seu IPO em R$ 16, o que torna a instituição financeira o segundo banco de investimentos listados na B3. A oferta está sendo avaliada em R$ 1,7 bilhão. O montante será destinado para expandir suas operações no mercado de capitais e produtos estruturados de tesouraria para clientes.

Eletrobras (ELET6)

Com 42 votos favoráveis e 37 contrários, o Senado aprovou ontem (17) o texto principal da MP (Medida Provisória) da privatização da Eletrobras, maior elétrica da América Latina, nos termos de parecer apresentado pelo relator, o senador Marcos Rogério (DEM-RO).

Como o relatório modificou a proposta encaminhada pelos deputados, a MP deve retornar à Câmara para uma segunda análise, o que deve acontecer na segunda-feira (21), conforme previsão do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

A oferta de ações da Eletrobras deve levantar ao menos R$ 25 bilhões, de acordo com expectativa já divulgada por integrantes do governo, para que a empresa pague esse montante ao Tesouro em outorgas pela renovação de contratos de hidrelétricas.

Vale (VALE3)

O conselho de administração da mineradora Vale aprovou a distribuição de dividendos aos acionistas no valor de R$ 2,177096137 por papel, informou a companhia em fato relevante, destacando que a medida não tem relação com o dividendo a ser regularmente pago em setembro deste ano.

Do total definido para remuneração, o valor de R$ 0,716268047 por ação tem base no balanço do primeiro trimestre deste ano e se refere à antecipação da destinação do resultado do exercício de 2021, enquanto o restante se refere a reservas de lucros constantes no balanço de dezembro de 2020.

Goldman Sachs (GSGI34)

Poucos meses após relançar sua plataforma de negociação de criptomoedas e fornecer exposição ao bitcoin para seus principais clientes, o Goldman Sachs está agora expandindo sua atuação para o ether (ETH), token do ethereum, com liquidações financeiras e contratos de opções. Além disso, o banco planeja aumentar sua oferta de soluções para o bitcoin, adicionando a oferta de ETNs (Exchange-Traded Notes) da criptomoeda.

JBS (JBSS3)

A companhia de alimentos JBS informou ontem (17) que sua subsidiária Pilgrim’s Pride fechou um acordo para aquisição dos negócios de alimentos preparados e refeições da Kerry Consumer Foods no Reino Unido e na Irlanda.

A operação tem um enterprise value de £ 680 milhões (aproximadamente US$ 952 milhões), o que representa um múltiplo de 8,5 vezes o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) esperado para 2021 dos negócios adquiridos, disse a JBS em fato relevante.

Outra aquisição foi divulgada ontem pela empresa. A JBS realizou a compra da Vivera, a terceira maior empresa de alimentos à base de plantas da Europa. O valor do negócio é de € 341 milhões, equivalente a US$ 406,2 milhões. A Vivera desenvolve e produz uma ampla gama de produtos de substituição de carne de base vegetal para grandes varejistas em mais de 25 países do bloco, com destaque para Holanda, Reino Unido e Alemanha. O negócio inclui três fábricas e um centro de pesquisa e desenvolvimento localizado na Holanda.

De acordo com a empresa, o investe se dá pelo potencial de crescimento desse mercado, que é global. A Vivera, hoje, que é a maior empresa independente de base vegetal da Europa, vai se somar a outras iniciativas da JBS, como a linha Incrível da Seara, líder de mercado em hambúrgueres vegetais no Brasil, e a Planterra, com a marca OZO nos Estados Unidos.

Apple (AAPL34)

O Procon de São Paulo notificou a Apple pedindo explições sobre a segurança dos dados de smartphones. O assunto veio à tona após receberem informações que quadrilhas estavam roubados dados de aparelhos celulares furtados. Os invasores conseguem entrar nos aplicativos sem possuirem as senhas.

“O pedido se deve considerando notícias de que quadrilhas têm roubado celulares com o intuito de acessar aplicativos de bancos instalados no aparelho e fazer transferências indevidas na conta bancária da vítima”, afirma o Procon ao Valor Investe.

Livetech da Bahia

A WDC, mais conhecida como Livetech da Bahia, empresa focada em soluções de banda larga, informou na última quarta-feira (16), por meio de um fato relevante, que selecionou os bancos BTG Pactual, Banco Bradesco, Banco Itaú, Citigroup para uma potencial oferta.

De acordo com a empresa, “até o presente momento, a companhia não definiu e nem aprovou a efetiva realização da oferta em potencial tampouco seus termos e condições, ou quaisquer outras possíveis operações para captação de recursos.”

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

MSCI (M1SC34)

A administradora de índices globais de mercado MSCI está avaliando lançar índices para ativos de criptomoedas, de acordo com o presidente-executivo, Henry Fernandez, no que seria mais um passo em direção à aceitação geral das moedas digitais e das empresas que as negociam. Fernandez, falando em um evento organizado pela firma de capital de risco Andreessen Horowitz no início desta semana, disse que a MSCI tem conversado com especialistas e tem como objetivo lançar índices para o setor. Ele não deu detalhes sobre em quais ativos os índices teriam, nem sobre o cronograma de lançamento. Procurado, o MSCI não comentou o assunto.

Empresas como Bank of New York Mellon, Mastercard, Visa e Goldman Sachs deram pequenos passos no sentido de apoiar as criptomoedas. Em maio, o S&P Dow Jones Indices revelou novos índices de criptomoeda, trazendo bitcoin e ethereum para os pregões de Wall Street.

Visa (VISA34)

A gigante de pagamentos digitais Visa anunciou nesta que nomeou Nuno Lopes Alves como novo presidente da companhia no Brasil.

Alves, que recentemente liderava os negócios Visa em países andinos, substituirá Fernando Teles, cuja saída foi anunciada de forma repentina na semana passada, após cinco anos no cargo.

Antes de entrar na Visa, onde já liderou a área de novos negócios da empresa no Brasil, Alves já trabalhou na Accenture e no Barclays. Agora, ele seguirá como membro da equipe de liderança da Visa América Latina e Caribe.

Google (GOGL34)

AMD e Google Cloud anunciaram que o Google vai oferecer serviços de computação em nuvem baseados no mais recente chip dedicado para data centers da AMD, o que deve ampliar a captura de mercado da rival Intel.

Provedores de computação em nuvem como Google, Amazon.com e Microsoft estão entre os maiores compradores de chips especializados para centrais de dados e fornecem serviços mediante aluguel de poder de processamento derivada dos chips que utilizam em suas infraestruturas.

O Google informou que vai começar a oferecer serviços baseados no chip “Milan” da AMD, lançado em março. A empresa afirmou que clientes como Snap e Twitter estão testando os novos serviços baseados nos chips da AMD.

Itaú (ITUB4)

O Trading agrícola do Itaú BBA, que foi anunciado em maio, pode começar a operar em agosto. Pedro Fernandes, diretor de agronegócios da instituição financeira, declarou ao Valor Investe que a expectativa é conceder de R$ 44 bilhões a R$ 49 bilhões de crédito para toda cadeia produtiva da safra 2021/22.

Baidu (BIDU34)

A gigante chinesa da tecnologia Baidu disse que sua unidade de direção autônoma Apollo planeja atender 3 milhões de usuários na China com uma frota de 3 mil robotáxis em 2023.

O Baidu também anunciou que está fazendo parceria com a marca de veículos elétricos do Baic Group, Arcfox, para desenvolver os robotáxis Apollo Moon, que serão produzidos em massa a um custo de R$ 74,8 mil dólares por unidade.

A dupla produzirá mil veículos elétricos Apollo Moon nos próximos três anos, disse a Baidu.

Petrobras (PETR4) e BR Distribuidora (BRDT3)

O Tribunal Agroambiental da cidade boliviana de Sucre anulou uma sentença de primeira instância que obrigava a Petrobras Bolivia, subsidiária da estatal brasileira no país vizinho, a pagar US$ 61 milhões em indenização pelo uso da propriedade onde estão localizadas as instalações do campo de San Alberto, informou a petroleira ontem (17).

Segundo comunicado da Petrobras, a decisão do tribunal indicou evidências de violação a direitos fundamentais e garantias constitucionais da PEB na sentença de primeira instância, anulando todos os atos desde o início do processo.

A sentença também extinguiu medidas cautelares impostas anteriormente e impôs uma multa à juíza de primeira instância, acrescentou a companhia.

A Petrobras protocolou na (CVM) Comissão de Valores Mobiliários pedido de registro de oferta pública de distribuição secundária de ações ordinárias de emissão da BR Distribuidora, na qual a petroleira venderá a totalidade de sua participação de 37,5% do capital social da BR.

A companhia poderia levantar cerca de R$ 11,5 bilhões com a venda de 436 milhões de ações, com base em preço de fechamento de R$ 26,42 da última quarta-feira (16), acrescentando que o valor é meramente indicativo, podendo variar para mais ou para menos, conforme a conclusão do procedimento de bookbuilding.

A oferta, a ser precificada em 30 de junho, terá como coordenadores o Morgan Stanley, Bank of America, Citigroup Global Markets, Goldman Sachs, Itaú BBA, JP Morgan e XP Investimentos.

Dasa (DASA3)

A Bolsa de Valores Brasileira aprovou o pedido da Dasa de migrar para o segmento especial do novo mercado. O contrato foi assinado ontem (17) para a mudança e a estreia ocorrerá em 23 de junho.

Espaçolaser (ESPA3)

A Espalolaser assinou uma parceria comercial com a HBR Realty Empreendimentos Imobiliários visando promover a sinergia e fortalecimento do plano estratégico de expansão das operações das duas Companhias.

A HBR Realty atua no segmento de desenvolvimento e administração de propriedades imobiliárias e é detentora de vários empreendimentos comerciais denominados “ComVem”, com capilaridade geográfica, principalmente na cidade de São Paulo interior.

A partir de agora, o ComVem passa a poder contar com a rede de lojas da Espaçolaser.

A empresa também informou que adquiriu, através de sua subsidiária Corpóreos Serviços Terapêuticos, participação representativa de três grupos franqueados responsáveis pela operação de 19 lojas da marca Espaçolaser nos estados do Pará, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Ceará e Piauí, mediante pagamento do valor total de R$ 68,8 milhões.

Telefônica Brasil (VIVT3)

A Telefônica informou que pagará o montante líquido de R$ 535 milhões em JCP (juros sobre capital próprio) aos acionistas que estiverem com posição acionária em 30 de junho. O valor líquido para cada ativo é de R$ 0,31781. O pagamento do provento será efetuado até 31 de julho de 2022.

Wiz Seguros (WIZS3) e Banco de Brasília (BSLI3)

O BRB anunciou ontem (17) que na última segunda-feira (14) que a empresa de corretagem Wiz vai comprar 50,1% em uma corretora que será formada com ativos do Banco d Brasília. O valor do negócio é de R$ 585,2 milhões.

Copasa (CSMG3)

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais foi outra empresa que anunciou o valor bruto de R$55 milhões para o pagamento de JCP. Será destinado R$0,14550 (bruto) para cada ativo que será pago em até 60 dias após a data de declaração (17 de junho).

PetroRio (PRIO3)

A Petro Rio informou que a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) aprovou a cessão das participações de 35,7% no Campo de Wahoo, e de 60% no Campo de Itaipu, para a PetroRio, que se torna a operadora de ambos os campos de pré-sal.

Com a transação, realizada em 18 de novembro de 2020, a PetroRio visa a criação de um segundo cluster de produção através da interligação de Wahoo a Frade dando sequência a estratégia de otimização operacional dos seus ativos. O primeiro óleo de Wahoo está previsto para o início de 2024.

Cemig (CMIG4)

A Cemig informou o pagamento de R$276 milhões em JCP, o que corresponde a R$0,18228 por ação ordinária, referentes à primeira parcela e outros R$464 milhões, referente a R$0,305848 por ativo referentes à primeira parcela dos dividendos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

(Com Reuters)

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).