Boeing registra lucro pela primeira em mais de dois anos

Divulgação/Forbes

A Boeing divulgou hoje (28)  o primeiro lucro trimestral em quase dois anos, ajudada por retomada de entregas do jato 737 MAX. As ações da companhia subiam cerca de 5%.

A companhia norte-americana está tentando recuperar bilhões de dólares em perdas de vendas geradas pelas medidas de isolamento social e deixar para trás as duas quedas do 737 MAX que mataram centenas de pessoas. A empresa também está enfrentando problemas com defeitos estruturais no jato maior e mais lucrativo 787.

LEIA MAIS: Maior Boeing 737 MAX se prepara para voo inaugural

O presidente-executivo da Boeing, David Calhoun, afirmou em comunicado aos funcionários que a Boeing planeja manter sua força de trabalho em cerca de 140 mil trabalhadores. Anteriormente, a empresa buscava uma redução para 130 mil até o final de 2021.

Calhoun afirmou a investidores durante teleconferência que “o mercado doméstico de aviação dos Estados Unidos está mostrando uma notável recuperação, mas alertou que as viagens internacionais podem levar mais tempo para uma retomada. “Esperamos uma recuperação durante vários anos”, disse Calhoun.

O lucro operacional da Boeing foi de US$ 755 milhões no segundo trimestre ante prejuízo de US$ 3,32 bilhões um ano antes. A receita subiu 44%, para cerca de US$ 17 bilhões.

Analistas, em média, esperavam que a Boeing divulgasse prejuízo para o período de US$ 454,8 milhões e que reportasse receita de US$ 16,54 bilhões, segundo dados da Refinitiv. (Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).