IPO da Multilaser pode fazer novo bilionário brasileiro

Reprodução / Arquivo Pessoal
Reprodução / Arquivo Pessoal

Fortuna de Alexandre Ostrowiecki pode superar os R$ 4 bilhões com a oferta. Estreia na Bolsa é prevista para 19 de julho.

A empresa de eletrônicos Multilaser anunciou que pode levantar cerca de R$ 2 bilhões em seu IPO (Oferta Pública Inicial, na sigla em inglês) e, com ela, fazer com que seu principal acionista, Alexandre Ostrowiecki, se torne o mais novo bilionário brasileiro.

Ostrowiecki é o fundador da Multilaser e possui atualmente 50,05% da empresa. Após a oferta, sem considerar ações adicionais ou suplementares, a participação do empresário será diluída para 39,54%, o equivalente a 324.417.660 ações ordinárias.

LEIA MAIS: Ofertas de ações movimentam R$ 66,1 bilhões no 1º semestre

Em prospecto preliminar publicado no site da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a estimativa é que o ponto médio da faixa indicativa de preço por ação seja de R$ 11,90. Neste cenário, a avaliação de mercado da empresa pode chegar a R$ 9,7 bilhões, sem considerar ofertas adicionais ou suplementares, levando a fortuna de Ostrowiecki para aproximadamente R$ 3,8 bilhões. A oferta é 100% primária e Ostrowiecki não irá vender sua participação na transação.

Caso o preço das ações ofertadas atinja a máxima de R$ 13,00 estimada, a participação do empresário pode passar a valer cerca de R$ 4,2 bilhões. Para Ostrowiecki, mesmo no pior dos cenários sua fortuna ainda pode ser de dez dígitos. Com o preço por ação situado no piso da faixa, de R$ 10,80, seu patrimônio seria avaliado em R$ 3,5 bilhões.

Vale ressaltar que, considerando ações adicionais e suplementares que podem ser oferecidas a depender da demanda do mercado pelo IPO, a participação do CEO na empresa cai para 36,83%. Porém, em qualquer caso, isso não afetaria a estimativa de sua fortuna, pois o número de ações sob o seu patrimônio seria o mesmo, apesar da diluição.

O IPO da Multilaser estava nos planos da empresa desde 2020, mas a primeira tentativa foi interrompida pela volatilidade do mercado. Inicialmente, a oferta também serviria para que os sócios vendessem uma fatia no negócio. Contudo, dessa vez, a operação envolverá apenas a venda de novas ações (172.313.238 papéis). A companhia afirmou ainda que pretende usar os recursos para reforçar o caixa, pagar dívidas e fazer aquisições.

A estreia da Multilaser na Bolsa está prevista para o dia 19 de julho e os papéis serão negociados com o ticker MLAS3. A oferta é coordenada pelo Banco Itaú, XP Investimentos, Bank of America, UBS BB e Banco Safra.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).