Lucro da EDP cresce 45% e chega a R$ 344 milhões no 2º trimestre

Eloy Alonso/Reuters
Eloy Alonso/Reuters

O Ebitda da EDP somou R$ 800 milhões entre abril e junho, alta de 36,3% versus um ano antes

A elétrica portuguesa EDP registrou lucro líquido de R$ 344 milhões no segundo trimestre, alta de 45,2% ante o mesmo período do ano passado, com a contribuição da entrada parcial de novos empreendimentos de transmissão e a conclusão da aquisição de novas linhas, informou a companhia ontem (26).

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), por sua vez, somou R$ 800 milhões entre abril e junho, alta de 36,3% versus um ano antes.

LEIA TAMBÉM: Como o Brown Brothers criou as finanças modernas nos EUA

O segmento de transmissão foi um dos destaques do período, segundo a companhia, com a entrada em operação parcial dos lotes Q e 21, ambos no Sul do país.

Além disso, a empresa concluiu a aquisição, no mercado secundário, do lote de linhas de transmissão Mata Grande Transmissora de Energia. O empreendimento tem investimento previsto de R$ 85,5 milhões.

“Os resultados positivos apresentados no segundo trimestre… mostram que estamos no caminho certo, seguindo nossa estratégia 2021-2025 de priorizar os investimentos nas chamadas redes reguladas (distribuição e transmissão), além de focar na geração solar distribuída e ‘utility scale’ por meio de PPAs corporativos”, disse em nota o presidente da EDP no Brasil, João Marques da Cruz.

O executivo também pontuou que estuda participar de novos leilões de transmissão, mas que a decisão será tomada com disciplina financeira.

 

CRISE HÍDRICA

Cruz ressaltou que a companhia vem trabalhando de forma consistente para mitigar impactos do agravamento da crise hídrica no Brasil, por meio de medidas de proteção do portfólio, como repactuação do GSF (risco hídrico), operações de hedge e garantia física descontratada.

VEJA MAIS: Magazine Luiza compra plataforma de entregas ultrarrápidas Sode

O país passa pela pior crise hídrica nos reservatórios das hidrelétricas – principal fonte geradora do país – em mais de 90 anos.

“Nossos resultados mostram que tomamos as medidas certas… Esse risco está sendo gerenciado com sucesso”, afirmou Cruz.

Como o resultado, a EDP apontou que elevou sua margem bruta em R$ 27,1 milhões, utilizando a gestão integrada entre a sua comercializadora e geradoras hídricas nas transações de compra e venda de energia.

 

DISTRIBUIÇÃO

Já do lado da distribuição, a EDP apontou um aumento de 16% no volume de energia distribuída no segundo trimestre ante o mesmo período do ano passado, com a recuperação da atividade econômica, das elevadas temperaturas registradas no período e da expansão no número de clientes.

Com isso, a EDP registrou lucro líquido gerado pelo segmento no exercício de R$ 119 milhões, alta de 73% ante o mesmo intervalo do ano passado.

LEIA TAMBÉM: Vale deve reportar lucro de US$ 1,50 por ação, indica prévia

A empresa disse ainda que investiu R$ 267,3 milhões no segmento de distribuição no trimestre, um crescimento de 51,6% na comparação com o ano anterior, com obras de expansão, melhorias da rede, melhorias em telecomunicações e informática, e de projetos de combate às perdas. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).