Lucro da Vale dispara mais de 600% e vai US$ 7,59 bilhões no 2º trimestre

A mineradora Vale registrou lucro líquido de US$ 7,586 bilhões no segundo trimestre, ante US$ 995 milhões um ano antes, com forte alta do preço do minério de ferro em meio a uma demanda firme da China, segundo relatório financeiro da companhia publicado ontem (29).

O resultado, que ficou próximo da estimativa de analistas de US$ 7,67 bilhões, segundo dados da Refinitiv, também cresceu ante o último trimestre, quando a empresa registrou US$ 5,546 bilhões.

LEIA TAMBÉM: Compass fecha acordo para comprar fatia da Petrobras na Gaspetro por R$ 2,03 bilhões

Encargos do impairment de ativos do negócio de carvão e provisão adicional relacionada à Fundação Renova, de US$ 560 milhões, compensaram parcialmente os efeitos positivos.

Uma das maiores produtoras globais de minério de ferro, a empresa teve um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de US$ 11,038 bilhões entre abril e junho, ante US$ 3,371 bilhões um ano antes.

A Vale destacou que a unidade de minerais ferrosos foi um dos principais fatores para o lucro, com o Ebitda ajustado do segmento somando US$ 10,679 bilhões, US$ 2,868 bilhões superior ao do primeiro trimestre, principalmente devido aos maiores preços de venda realizados e maiores volumes.

A receita de vendas da companhia somou US$ 16,675 bilhões no segundo trimestre, mais que o dobro do registrado no mesmo período de 2020, de US$ 7,518 bilhões.

A Vale produziu 75,7 milhões de toneladas de minério de ferro no segundo trimestre, alta de 12% ante o mesmo período do ano anterior, avançando em seu plano de retomada e estabilização operacional.

VEJA MAIS: IPO da Clear Sale sai a R$ 25 por ação, no topo da faixa estimativa

 

PREÇOS EM ALTA

O preço de finos de minério de ferro realizado da Vale no segundo trimestre totalizou US$ 182,8 por tonelada, um aumento de US$ 27,3 por tonelada versus o primeiro trimestre. No mesmo período do ano passado, o valor de realização da commodity da empresa ficou em US$ 88,9/tonelada.

A mineradora destacou que a manutenção da “oferta restrita” de minério de ferro e uma atividade econômica “muito forte” da China mantiveram o mercado “sub ofertado”, elevando os preços acima dos US$ 200 por tonelada.

No entanto, para o segundo semestre, a empresa prevê um aumento da oferta de minério, enquanto a demanda pode ser impactada por cortes de produção devido a restrições ambientais na China.

O investimento total foi de US$ 1,139 bilhão no segundo trimestre, US$ 130 milhões acima do trimestre anterior, devido à aceleração dos investimentos nos projetos de expansão da mina de Voisey’s Bay, da planta de energia solar do Sol do Cerrado e no Serra Sul 120 mil toneladas por ano.

A empresa gerou fluxo de caixa livre operacional de US$ 6,527 bilhões entre abril e junho, ficando US$ 680 milhões acima do trimestre anterior.

LEIA TAMBÉM: Bilionários do Alibaba doam US$ 220 milhões para desenvolvimento de tecnologias esportivas

A empresa encerrou o trimestre com dívida bruta de US$ 12,154 bilhões, em linha com o trimestre anterior. A dívida líquida totalizou US$ 738 milhões negativos no mesmo período, com a dívida líquida expandida em US$ 11,448 bilhões. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).