Conheça o prodígio por trás do fundo que rendeu 84,7% durante a pandemia

Com US$ 150 milhões de ativos sob custódia, Daniel Rasmussen aproveitou a crise causada pela pandemia para investir em pequenas empresas.

Antoine Gara
Compartilhe esta publicação:
ADOBESTOCK
ADOBESTOCK

O portfólio construído pela Verdad era composto por 50 empresas pouco amadas, mas excluía quelas com alto risco de falência

Acessibilidade


Ao investidor Daniel Rasmussen, da Verdad Advisers, nunca faltam ideias ou convicção. Em 2020, a queda da Bolsa causada pela pandemia transformou um soco no estômago numa grande oportunidade para o investidor de 34 anos.

Rasmussen, ex-analista da Bain Capital e do fundo multimercados Bridgewater Associates, começou a dissipar um grande mito de Wall Street em 2015. Após estudar milhares de acordos de aquisição, ele concluiu que a maior parte dos retornos dos investimentos de private equity vinham das aquisições de empresas pequenas e baratas, que eram alavancadas ao máximo.

LEIA MAIS: Alan Trefler: o campeão mundial de xadrez que construiu uma fortuna bilionária

Rasmussen criou a Verdad Advisers com o objetivo de construir valiosas carteiras de ações de empresas small caps para depois alavancá-las, imitando assim as carteiras dos investidores de private equity por uma fração do custo original.

Quando a crise do coronavírus começou, no início de 2020, o fundo Leveraged Capital, carro-chefe de Rasmussen, foi destruído –ele detinha mais de US$ 100 milhões em ativos. As perdas fizeram com que os retornos impressionantes do investidor, construídos desde 2015, ficassem no vermelho. Em maio de 2020, Rasmussen escreveu uma carta aos investidores intitulada “An Apology for Small-Cap Value” (Um pedido de desculpas às empresas small caps, em tradução livre), que lamentava o pior trimestre de todos os tempos no desempenho de ações small caps. Rasmussen, porém, não se rendeu.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Achamos que as empresas small caps merecem um pedido de desculpas porque, embora os últimos anos tenham sido dolorosos para os investidores de pequenos valores, esta é talvez uma oportunidade de compra única no século desta classe de ativos profundamente desfavorecida”, escreveu ele.

Na verdade, naquele momento, os analistas da Verdad tinham acabado de concluir um relatório de 76 páginas intitulado “Investimento em crise: como maximizar retornos durante o pânico do mercado”. O documento mostrou que o melhor momento para aplicar dinheiro na Bolsa era quando os spreads de alto rendimento estavam acima de 600 pontos base, uma medida de medo extremo.

Com base na pesquisa, a Verdad criou um novo fundo chamado Verdad Opportunity Fund, que atrairia o capital dos investidores quando os spreads de “junk bonds” (títulos de renda fixa altamente voláteis) atingissem essa medida, e investiria esse capital em empresas pequenas e subvalorizadas. Por causa do péssimo desempenho de seu fundo emblemático na época, Rasmussen decidiu que o segundo fundo não cobraria taxas de administração.

Na época em que o fundo fechou, em maio de 2020, os mercados em queda eram um sinal verde para aplicar dinheiro. Rasmussen e sua equipe selecionaram as pequenas empresas públicas mais baratas e subvalorizadas da dos Estados Unidos e Canadá, mas excluíram aquelas que consideravam ter alto risco de falência.

O portfólio construído pela Verdad era composto por 50 empresas pouco amadas, como a rde de lojas de roupas para adolescentes American Eagle Outfitters, a fabricante de assentos automotivos Commercial Vehicle Group, a empresa de materiais canadense Intertape Polymer, a fabricante de barcos a motor MasterCraft Boat Holdings, as construtoras KB Homes e Meritage, e a empresa de terceirização FirstSource.

A equipe de Rasmussen estudou os fundamentos dessas empresas para adicionar uma margem de segurança no cenário econômico incerto. Por exemplo, eles escolheram a rede de cinemas The Marcus Corporation em vez da AMC Entertainment (que mais tarde se tornaria uma “ação meme”) devido ao seu rico balanço patrimonial.

VEJA TAMBÉM: The Cloud 100: as melhores e mais valiosas empresas privadas na nuvem

Em junho de 2020, a Verdad havia investido mais de US$ 150 milhões do Opportunity Fund, mas os retornos ainda engatinhavam. O cenário mudou com a aprovação das vacinas contra a Covid-19 nos Estados Unidos durante o segundo semestre de 2020 – as ações dispararam. No final do ano, o fundo cresceu 50%, descontadas as taxas, e o valor das ações continuaram a aumentar em 2021.

Em julho, Rasmussen decidiu que já tinha feito o suficiente. A oportunidade de investimento da crise havia passado, os spreads dos “junk bonds” estavam perto de níveis recordes e o apetite dos investidores já tinha voltado.

A Verdad liquidou totalmente o Opportunity Fund com um ganho líquido de 84,7%, de acordo com um memorando acessado pela Forbes, posicionando-se à frente do S&P 500, Russell 2000 e Russell Value Index no mesmo período.

“Cumprimos a nossa missão. Compramos em um momento de crise e, para nós, a crise parece ter acabado”, disse Rasmussen à Forbes. “Sentimos que nenhum investidor iria se opor a receber seus lucros mais cedo.”

Como um fundo de private equity tradicional, o veículo de investimento da Verdad era um fundo de retirada. Ou seja, ele só recebia capital dos investidores quando identificava investimentos interessantes. Durante o segundo trimestre de 2020, quando a Verdad aplicou seu dinheiro, o volume de negócios de private equity caíram vertiginosamente. Agora que os mercados de ações e as avaliações estão novamente em altas recordes, as aquisições estão aumentando outra vez.

Rasmussen se orgulha de ter feito exatamente o oposto. “Muitos de nossos investidores estavam aplicando como forma de substituir investimentos de private equity, porque não conseguiram colocar capital para trabalhar durante a crise”, diz ele.

Como a maioria dos fundos, o carro-chefe da Verdad, o Leveraged Company Fund, se recuperou da queda do mercado de março de 2020 e subiu 98% em um período de 12 meses.
No entanto, os retornos do fundo desde seu lançamento até o momento são pequenos, chegando a apenas 3,7% líquidos no primeiro trimestre de 2021, cerca de metade de seu índice de referência.

Quando comparada com o Índice S&P 500, ou mesmo com os retornos dos grandes gigantes de aquisições, a teoria de Rasmussen sobre a rentabilidade de private equity ainda deixa muito a ser comprovado.

A ascensão meteórica vista durante a pandemia mais uma vez mostra o mérito de se investir em momentos de pico de incerteza. A Forbes estima que a Verdad gerou mais de US$ 25 milhões em taxas de desempenho.

“Comprar valor realmente funciona durante uma crise porque se trata de reversão média. As ações que estão baratas em uma crise tendem a ser cíclicas e a ser de empresas movidas pelo produto interno bruto do país”, diz ele. “Você não está apenas comprando as empresas mais baratas. Na verdade, está comprando as empresas que crescem mais rápido quando a economia se recupera.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: