Dia dos Solteiros: 10 bilionários que estão disponíveis para o amor

Encontrar o par perfeito pode ser um desafio até para os superricos ao redor do mundo.

Compartilhe esta publicação:
Arte/Forbes
Arte/Forbes

Bill Gates, Tyler Winklevoss e Jack Dorsey são alguns dos bilionários que oficialmente não estão em relacionamentos

Acessibilidade


Encontrar o amor verdadeiro é mais difícil do que conquistar uma fortuna bilionária? Não existe uma resposta certa para esta pergunta, mas para alguns dos integrantes do ranking de Bilionários do Mundo da Forbes, os primeiros bilhões chegaram antes do par ideal.

Assim como nos negócios, a busca pelo par ideal é uma tarefa constante. Mesmo porque as pessoas estão sempre em evolução e relacionamentos antigos podem não fazer mais sentido com o tempo, independente do nosso patrimônio.

LEIA MAIS: 5 lições sobre carreira deixadas por Tarcísio Meira

O ano de 2021 trouxe muitos exemplos neste sentido. Após 27 anos de casamento, o casal Bill e Melinda Gates oficializou seu divórcio. Em termos financeiros, o rompimento só perde para o fim do casamento de Jeff Bezos e MacKenzie Scott, anunciado no início de 2019, outro grande rompimento para o mundo dos bilionários.

Dos gêmeos bilionários das criptomoedas, Cameron e Tyler Winklevoss, apenas um está solteiro, Tyler. Já Cameron tem um relacionamento com a modelo brasileira Natalia Beber. Ambos são cofundadores da corretora de criptomoedas Gemini.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Aos 44 anos, Jack Dorsey, fundador do Twitter, é outro bilionário que teve grande sucesso nos negócios, mas ainda está à procura do amor verdadeiro. O empresário nunca se casou e mantém mais detalhes de vida pessoal privados. Dorsey está entre as 150 pessoas mais ricas do mundo, com fortuna estimada em US$ 14,9 bilhões.

Entre os bilionários mais jovens está Austin Russell, self-made e integrante mais jovem da lista da Forbes. Sua startup, a Luminar Technologies, fabrica sensores para carros autônomos de montadoras como Volvo e Toyota. Na vida pessoal, Russell, que tem 26 anos anos, segue comprometido apenas com os negócios.

Neste dia dos solteiros, a Forbes elencou 10 bilionários que oficialmente não estão em relacionamentos.

  • Bill Gates

    Patrimônio: US$ 130,5 bilhões
    Estado civil: divorciado
    Idade: 65 anos
    Fonte da fortuna: Microsoft

    Agora divorciado, Bill Gates preside a Fundação Bill & Melinda Gates, a maior organização privada de caridade do mundo, e é conhecido por fundar a Microsoft em 1975. Em março de 2020, Gates deixou o conselho da companhia e era dono de cerca de 1% das ações da empresa de software e computação. Até o momento, Gates doou US$ 35,8 bilhões em ações da Microsoft para sua instituição filantrópica.

    AP PHOTO/ELAINE THOMPSON
  • Julia Koch

    Patrimônio: US$ 46 bilhões
    Estado civil: viúva
    Idade: 59 anos
    Fonte da fortuna: Indústrias Koch

    Junto com seus três filhos, Julia Koch herdou uma participação de 42% nas Indústrias Koch após a morte de seu marido David, em agosto de 2019. Após o acontecimento, ela doou US$ 20 milhões a diferentes centros de saúde nos Estados Unidos para financiar estudos de alergias alimentares. No início de sua carreira, a bilionária trabalhou como assistente de estilista.

    Reprodução / Forbes
  • Robert Pera

    Patrimônio: US$ 17,7 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 43 anos
    Fonte da fortuna: Ubiquiti Networks

    Robert Pera começou sua carreira como funcionário da Apple, em 2003. Porém, com apenas 10 meses no emprego, decidiu fundar sua própria empresa: a Ubiquiti Networks, fabricante de equipamentos sem fio. A companhia vende sistemas de banda larga sem fio com foco em mercados emergentes. Com capital aberto, quase 75% das ações da empresa são patrimônio de Pera.

    CHRISTIAN PEACOCK/THE FORBES COLLECTION
  • Lukas Walton

    Patrimônio: US$ 17,2 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 34 anos
    Fonte da fortuna: Walmart

    Lukas Walton é neto do fundador do Walmart, Sam Walton, e herdou a fortuna de seu pai em 2005, quando ele morreu em um acidente de avião em 2005. Lucas Walton recebeu cerca de um terço dos bens de seu pai. Além do Walmart, ele possui participações nas empresas First Solar e Arvest Bank. Walton doou pelo menos US$ 149 milhões para a fundação homônima de sua família, onde preside o comitê do programa ambiental.

    Reprodução / Forbes
  • Jack Dorsey

    Patrimônio: US$ 14,9 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 44 anos
    Fonte da fortuna: Twitter

    Jack Dorsey cofundou o Twitter em 2006 e foi CEO até 2008. Após alguns anos afastado, retornou à companhia em 2015 e continua no cargo desde então. Ele também está à frente da empresa de pagamentos Square. Antes de se interessar por tecnologia, Dorsey era massagista certificado e pensava em trabalhar com design de moda. Em 2016, o empresário doou quase um terço de suas ações no Twitter aos funcionários.

    COLE BURSTON/BLOOMBERG
  • Mikhail Prokhorov

    Patrimônio: US$ 11,4 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 56 anos
    Fonte da fortuna: Norilsk Nickel e Brooklyn Nets

    A maior parte da fortuna do russo Mikhail Prokhorov é proveniente da venda de suas participações no Brooklyn Nets e na gigante de metais Norilsk Nickel. Ele também tem participações nos setores de seguros e bancário. Em 2012, Prokhorov concorreu contra Vladimir Putin na disputa pela presidência do país.

    MIKHAIL METZEL/ZUMA PRESS/NEWSCOM
  • John Collison

    Patrimônio: US$ 9,5 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 31 anos
    Fonte da fortuna: Stripe

    Com apenas 31 anos, o irlandês John Collison é cofundador e presidente da Stripe, uma companhia que atua na indústria de meios de pagamentos digital. Collison teve a ideia de fundar a Stripe ainda na faculdade, ao lado de seu irmão. Em setembro de 2019, sua empresa foi avaliada em US$ 35 bilhões, após uma rodada de financiamento de US$ 250 milhões.

    DAVID PAUL MORRIS/BLOOMBERG
  • Tyler Winklevoss

    Patrimônio: US$ 3 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 39 anos
    Fonte da fortuna: Gemini

    Tyler Winklevoss é um dos cofundadores da corretora de criptomoedas Gemini, ao lado de seu irmão e gêmeo idêntico, Cameron Winklevoss. A empresa criada pelos bilionários processa cerca de US$ 200 milhões por dia em negociações. Tyler atua como CEO da companhia. Antes de se dedicar aos negócios, ele trabalhava como remador olímpico. A dupla também ficou conhecida por acusar Mark Zuckerberg de roubar sua ideia de rede social. A acusação rendeu US$ 65 milhões aos irmãos com um acordo legal, e eles utilizaram o valor para comprar bitcoins e começar seus negócios com criptomoedas.

    Reprodução / Instagram
  • Austin Russell

    Patrimônio: US$ 1,8 bilhão
    Estado civil: solteiro
    Idade: 26 anos
    Fonte da fortuna: Luminar Technologies

    Austin Russell abandonou a faculdade em 2012 para fundar a empresa de sensores automotivos Luminar Technologies, que abriu o capital em uma fusão SPAC em dezembro de 2020. Considerado um prodígio da ótica, Russell desenvolveu a ideia do Luminar quando tinha apenas 17 anos e estudava física na Universidade de Stanford. Após a listagem da Luminar na Nasdaq, Russell se tornou o bilionário self-made mais jovem do mundo.

    JAMEL TOPPIN / FORBES
  • Kevin David Lehmann

    Patrimônio: US$ 3,7 bilhões
    Estado civil: solteiro
    Idade: 18 anos
    Fonte da fortuna: dm-drogerie markt

    Kevin David Lehmann se tornou o bilionário mais jovem da lista da Forbes em 2017 após herdar 50% da principal rede de drogarias da Alemanha, a dm-drogerie markt, que movimenta mais de US$ 12 bilhões em receita anual em cerca de 3.700 unidades. A participação herdada por Kevin David era de seu pai, Guenther. Porém, nenhum dos dois esteve envolvido operacionalmente na empresa.

    Arte / Forbes

Bill Gates

Patrimônio: US$ 130,5 bilhões
Estado civil: divorciado
Idade: 65 anos
Fonte da fortuna: Microsoft

Agora divorciado, Bill Gates preside a Fundação Bill & Melinda Gates, a maior organização privada de caridade do mundo, e é conhecido por fundar a Microsoft em 1975. Em março de 2020, Gates deixou o conselho da companhia e era dono de cerca de 1% das ações da empresa de software e computação. Até o momento, Gates doou US$ 35,8 bilhões em ações da Microsoft para sua instituição filantrópica.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: