Didi suspende estreia no Reino Unido após medidas da China contra techs

Segundo reportagem de jornal, funcionários trabalhando no lançamento foram informados que podem ser dispensados.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

Suspensão de estreia da Didi no Reino Unido acontece após mais de um mês de ações regulatórias duras ao setor de internet da China

Acessibilidade


A empresa chinesa de transporte de passageiros por aplicativo Didi Global suspendeu os planos de estreia no Reino Unido e na Europa continental, segundo o jornal Telegraph publicou hoje (23), em meio a uma ação regulatória em seu país ligada à privacidade de dados.

Funcionários trabalhando no lançamento foram informados que podem ser dispensados, e a Didi parou de contratar no Reino Unido, suspendendo os planos de lançamento por pelo menos 12 meses, segundo a reportagem.

LEIA TAMBÉM: Agência norte-americana abre investigação sobre a segurança dos veículos da Tesla

A medida acontece após mais de um mês de ações regulatórias duras ao setor de internet da China, incluindo empresas como a Didi, por violações antitruste, de privacidade dos dados do consumidor e outras infrações.

Reguladores de Pequim removeram o seu aplicativo de lojas durante um inquérito de cibersegurança motivado por preocupações de que dados estavam saindo da China.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa não respondeu de imediato a pedido de comentário.

A Didi listou suas ações em Nova York em junho, captando US$ 4,4 bilhões em uma IPO (oferta inicial de ações), a maior venda de uma empresa chinesa desde 2014, quando a gigante de e-commerce Alibaba fez sua listagem. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: