EUA registra 943 mil novas vagas em julho e desemprego cai para 5,4%

O resultado sólido sugere que a economia manteve seu forte impulso no início do 2° semestre.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Andrew Kelly
REUTERS/Andrew Kelly

O resultado sólido sugere que a economia manteve seu forte impulso no início do 2° semestre

Acessibilidade


A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos foi sólida em julho em meio à demanda por trabalhadores no setor de serviços, sugerindo que a economia manteve seu forte impulso no início do segundo semestre.

Foram criados 943 mil postos de trabalho fora do setor agrícola no mês passado, após 938 mil em junho, informou o Departamento do Trabalho em seu relatório de empregos hoje (6). Economistas consultados pela Reuters esperavam criação de 870 mil postos de trabalho.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Os ganhos, no entanto, foram favorecidos por mudanças nos postos de trabalho sazonais nas escolas, causadas pela pandemia de Covid-19. As estimativas variaram entre 350 mil a 1,6 milhão. A taxa de desemprego, por sua vez, caiu de 5,9% em junho para 5,4%, frente expectativa de 5,7% do mercado.

“As condições do mercado de trabalho parecem saudáveis no início do terceiro trimestre, já que as empresas do setor de serviços continuam contratando devido à forte demanda reprimida”, disse Sam Bullard, economista sênior da Wells Fargo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Antes da pandemia, o emprego no setor da educação normalmente diminuía em cerca de 1 milhão de postos de trabalho em julho com o fechamento das escolas, mas este ano muitos alunos estão na escola de verão após as interrupções causadas pelo coronavírus. Isso provavelmente atrapalhou o modelo ou os fatores sazonais que o governo utiliza para eliminar as flutuações sazonais dos dados, impulsionando o número de criação de vagas.

O forte relatório de emprego vem na esteira das notícias da semana passada de que a economia dos EUA recuperou totalmente no segundo trimestre a forte queda na produção, sofrida durante a breve recessão da pandemia. O crescimento econômico esperado neste ano está em torno de 7%, o que seria o salto mais rápido desde 1984.

A saúde do mercado de trabalho pesará sobre os próximos passos da política monetária do Federal Reserve. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: