Governo federal economiza R$ 1,419 bilhão com trabalho remoto na pandemia

Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

A redução de gastos do Ministério da Economia ocorreu em itens como passagens, despesas de locomoção e diárias

A economia do governo federal com os servidores trabalhando de forma remota durante a pandemia da Covid-19 chegou a R$ 1,419 bilhão, com a maior redução de gastos concentrada em passagens e despesas de locomoção (R$ 512,6 milhões) e diárias (R$ 450,2 milhões), afirmou o Ministério da Economia hoje (03).

O cálculo foi feito em cima dos gastos computados de março de 2020 a junho de 2021. No período, a economia com serviços de energia elétrica foi de R$ 392,9 milhões e com reproduções de documentos, de R$ 57,8 milhões.

LEIA TAMBÉM: Com janela para taxação de lucros no exterior, reforma para IR terá impacto fiscal neutro

Em nota, o ministério destacou que a digitalização dos serviços públicos evitou que os cidadãos deixassem de ser atendidos em função do trabalho remoto.

“A experiência positiva com o trabalho remoto realizado durante a pandemia é um incentivo para a adesão dos órgãos do poder público ao Programa de Gestão, que permite a implementação do teletrabalho”, diz a nota.

Cerca de 190 mil servidores federais, ou 32% do total de funcionários ativos, ainda estão trabalhando de forma remota e a expectativa é que parte desse contingente siga nesse modelo no pós-pandemia. (Com Reuters)

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).