Lucro da Eneva sobe 38% no 2º trimestre com antecipação de despachos de térmelétricas

Lucro da companhia foi impulsionado por uma antecipação de despachos de suas térmicas, devido à seca que afeta a geração hidrelétrica do país.

Redação
Compartilhe esta publicação:

A Eneva aumentou em 38% o seu lucro líquido no segundo trimestre, para R$ 118,1 milhões, com impulso de uma antecipação de despachos de suas térmicas, que foram chamadas a produzir antes devido à seca que afeta a geração hidrelétrica do país.

Acessibilidade


Neste contexto, a geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado da Eneva cresceu 35% na comparação como segundo trimestre de 2020, para 377,5 milhões de reais, enquanto a receita operacional líquida saltou 85,6%, para R$ 962,5 milhões.

LEIA TAMBÉM: Lucro da Engie Brasil Energia recua 58,4% no 2º trimestre, a R$ 319 milhões

“As termelétricas costumam começar a ser despachadas na metade do ano, às vezes em agosto… Este ano na terceira semana de maio começamos a ligar, final de maio já estava tudo ligado”, afirmou à “Reuters” o diretor financeiro da Eneva, Marcelo Habibe.

“Junho ficou ligado e muito provavelmente ficaremos ligados no ano inteiro, e possivelmente no ano que vem também”, acrescentou ele.

A Eneva, que produz o próprio gás consumido pelas termelétricas, possui seis unidades geradoras de energia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Dessas, quatro são movidas a gás natural, todas situadas no Maranhão, enquanto outras duas são a carvão, sendo uma no Estado maranhense e outra no Ceará.

“Como as térmicas da Eneva são as mais baratas do país, pelo simples motivo de serem abastecidas com o nosso próprio gás, são chamadas a despacho mais cedo”, explicou.

No segundo semestre, normalmente as térmicas da Eneva produzem entre julho e novembro, mas em 2021, devido às condições secas, provavelmente vão operar toda a segunda metade do ano, disse o diretor.

“Contribuímos muito para o país, essas termelétricas baratas são importantes para manter estabilidade do sistema, para não ter risco do apagão, cumprimos papel importante e conseguimos fazer resultado”, destacou.

VEJA MAIS: JBS compra a australiana Huon por R$ 2,1 bilhões e entra no setor de peixe

A Eneva ainda tem outras duas térmicas em construção: Parnaíba 5 e Jaguatirica II –esta última em fase final, devendo ficar pronta no último trimestre do ano.

Ela deverá abastecer Boa Vista, que não está ligada ao sistema elétrico nacional.

Nesta semana, a Eneva reportou uma atualização de suas reservas de gás, nas bacias de Amazonas e Solimões, mostrando um aumento importante nos volumes, o que deverá colaborar para o atendimento da geração elétrica no Norte do país, disse Habibe.

Segundo o diretor, os resultados comprovaram que as reservas são maiores do que se imaginava.

Ele comentou que o campo de Azulão, comprado há três anos da Petrobras, tinha 3,6 bilhões de metros cúbicos de gás reservas certificadas, mas volume é bem maior.

“Começamos a fazer poços e hoje já identificamos 6,2 bilhões de metros de gás. E no entorno do Azulão também achamos recursos, 5,8 bilhões”, disse.

LEIA TAMBÉM: Após 22 aquisições, Ambipar mira tokenização de créditos de carbono

As reservas de gás da Eneva ficam a mais ou menos 300 km de Manaus e 1.100 km de Boa Vista, e o insumo será transportado por rodovias até as térmicas devido a dificuldades ambientais para se construir gasodutos na floresta Amazônica.

Questionado sobre como está a negociação entre a Eneva e a Petrobras sobre o polo Urucu, na Bacia do Solimões, o diretor afirmou que as conversas prosseguem, mas não há ainda definição.

As negociações entre as duas companhias foram iniciadas no início do ano. (Com Reuters)

 

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: