Petrobras vê exportação de petróleo estável em 2021 apesar de queda de vendas à China

Já na primeira metade deste ano, os embarques somaram 628 mil barris de petróleo por dia

Redação
Compartilhe esta publicação:
Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

No ano passado, as exportações da Petrobras somaram 713 mil barris de petróleo por dia

Acessibilidade


As exportações de petróleo da Petrobras neste ano deverão ficar em linha com os volumes do ano passado, mesmo diante de um recuo nas vendas para a China, devido a uma estratégia de aumento dos embarques para outros destinos além do gigante asiático, disse a petroleira estatal em nota divulgada hoje (09).

A China, no entanto, permanece como um destino relevante no portfólio da Petrobras, segundo a companhia, junto com Índia e Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM: Economia brasileira esfriou em julho e deve desacelerar no 3º trimestre, segundo o Bank of America

No ano passado, as exportações de petróleo da empresa somaram 713 mil bpd (barris de petróleo por dia), uma alta de 33% na comparação com 2019. Já na primeira metade deste ano, os embarques somaram 628 mil bpd, queda de 16% ante o mesmo período de 2020.

“Devido a um trabalho de prospecção iniciado há mais de cinco anos na empresa, houve aumento de exportação de petróleo para Europa, Índia e Estados Unidos, comprovando como bem-sucedida a estratégia de explorar outros mercados para destinar seus produtos”, disse a petroleira, na nota.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Seguindo nesse ritmo, a expectativa é que o volume de petróleo exportado pela Petrobras em 2021 seja alinhado com o volume de 2020, mesmo com a recente retração de 33% nas vendas para a China.”

O trabalho de prospecção ocorreu a partir do desenvolvimento de novos mercados ao longo dos últimos anos para os óleos dos campos de Tupi e Búzios, ambos no pré-sal da Bacia de Santos, considerados de maior qualidade que os petróleos mais antigos produzidos no país.

“É imprescindível contextualizar que o crescimento notável do volume produzido nos campos do pré-sal, como Tupi e Búzios, ao longo da última década, trouxe uma mudança significativa em nosso perfil de produção e de exportação”, disse a empresa.

“Atualmente, quase a totalidade de nossas exportações advém de campos do pré-sal, cuja qualidade se enquadra na categoria de óleo ‘medium sweet'”, afirmou na nota o gerente executivo de Comercialização Externa, Alípio Ferreira.

A companhia pontuou que Tupi é um petróleo de referência mundial, tanto em função do seu elevado volume de produção, totalizando cerca de 1 milhão de barris por dia, e também em função de sua qualidade, com baixo teor de enxofre e bom rendimento de destilados.

Dessa forma, a empresa disse que Tupi se tornou um importante componente na cesta de refino de diversos clientes asiáticos, principalmente na China. Já o gradativo aumento das exportações de Búzios tende a aumentar a representatividade de regiões onde ele é mais valorizado, principalmente Europa e América do Sul. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: