Pilgrim's Pride, da JBS, precifica emissão de US$ 900 milhões em notas sênior

De acordo com comunicado, os títulos serão emitidos a 100% do valor principal agregado e terão rendimento de 3,5%

Redação
Compartilhe esta publicação:
Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

De acordo com comunicado, os títulos serão emitidos a 100% do valor principal agregado e terão rendimento de 3,5%

Acessibilidade


A Pilgrim’s Pride, controlada da JBS nos Estados Unidos, afirmou hoje (19)  que precificou uma oferta de US$ 900 milhões em notas sênior sem garantia com vencimento em 2032.

De acordo com comunicado, os títulos serão emitidos a 100% do valor principal agregado e terão rendimento de 3,5%. Devido à demanda, o montante da emissão foi elevado do plano inicial de US$ 750 milhões. A venda das notas deve ser concluída em 2 de setembro.

LEIA MAIS: JBS aprova envio de proposta para fechamento de capital da Pilgrim’s Pride

A empresa planeja usar os recursos para financiar a compra dos negócios de alimentos preparados e refeições da Kerry Consumer Foods no Reino Unido e na Irlanda. O restante será usado para pagar empréstimos e propósitos corporativos gerais.

O movimento ocorre após a JBS ter anunciado que pretende fechar o capital da Pilgrim’s Pride. A empresa brasileira, que já detém 80,21% das ações de emissão da PPC, aprovou na semana passada o envio de carta-proposta à empresa norte-americana para aquisição da totalidade das ações em circulação por US$ 26,50 cada.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Isso já causou influência na emissão desta quinta-feira, com a PPC informando que “a S&P Global anunciou que, devido ao anúncio recente da JBS…, agora vê a companhia como uma subsidiária central da JBS.”(Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: