Plataforma de criptomoeda Poly Network diz que fundos roubados foram devolvidos

A companhia foi vítima de um dos maiores roubos de criptoativos da história, com apreensão de US$ 610 milhões em tokens .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic / Reuters
Dado Ruvic / Reuters

A Poly Network foi vítima de um dos maiores roubos de criptoativos da história em 10 de agosto

Acessibilidade


A plataforma de criptomoeda Poly Network disse hoje (23) que quase todos os US$ 610 milhões roubados este mês, em um dos maiores roubos de critpomoedas, foram devolvidos pela pessoa ou pelas pessoas por trás do ataque.

Em uma publicação no Twitter, a Poly Network afirmou que havia recuperado o controle de todos os ativos, exceto de US$ 33 milhões da moeda estável Tether que haviam sido congelados pela empresa que a administra. A rede disse que estava conversando com a Tether para liberar esses fundos.

VEJA TAMBÉM: Binance adota novas medidas para combater lavagem de dinheiro com criptomoedas

Os hackers haviam dito anteriormente que realizaram o ataque por diversão para expor a vulnerabilidade dos contratos digitais da plataforma e que sempre planejaram devolver os tokens. Alguns analistas de blockchain especularam que eles simplesmente podem ter achado difícil demais lavar tanta criptomoeda roubada.

Um nome menos conhecido no mundo da criptomoeda, a Poly Network é uma plataforma de DeFi (finanças descentralizada) que facilita transação peer-to-peer com foco em permitir que os usuários transfiram ou troquem os tokens em diferentes blockchains.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Poly Network anunciou o roubo em 10 de agosto, mas afirmou que os responsáveis haviam começado a devolver as moedas digitais no dia seguinte. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: