Preços do petróleo recuam pelo 5º dia diante de avanço da Covid-19

As marcas de referência do petróleo ficaram sob pressão nas últimas semanas, devido ao aumento de infecções causadas pela variante Delta

Redação
Compartilhe esta publicação:
Christian Harmann/Reuters
Christian Harmann/Reuters

Os estoques de petróleo dos EUA recuaram 3,2 milhões de barris na semana passada

Acessibilidade


Os preços do petróleo recuaram hoje (18) pelo quinto dia, com investidores permanecendo preocupados sobre o cenário de demanda de combustível, à medida que os casos de Covid-19 aumentam no mundo, assim como mais oferta de grandes produtores chega ao mercado.

As marcas de referência do petróleo ficaram sob pressão nas últimas semanas, devido ao aumento de infecções causadas pela variante do coronavírus Delta em todo o mundo. Diversos países reiniciaram restrições de viagens e o tráfego aéreo diminuiu nas últimas semanas.

LEIA MIAS: Preços do petróleo recuam com dados da Ásia; mais bloqueios suscetíveis de demanda

A ata da reunião de política monetária do Federal Reserve dos EUA de 27 e 28 de julho mostrou que as autoridades observaram que a disseminação da variante Delta poderia atrasar temporariamente a reabertura total da economia e restringir o mercado de trabalho.

O petróleo Brent fechou em queda de US$ 0,80, ou 1,2%, a US$ 68,23 o barril. A marca de referência mundial recuou 11% nos últimos 13 dias de negociações. Os futuros do petróleo dos EUA fecharam em queda de US$ 1,13, ou 1,7%, para US$ 65,46 o barril.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os estoques de petróleo dos EUA recuaram 3,2 milhões de barris na semana passada, para 435,5 milhões de barris, a mínima desde janeiro de 2020, de acordo com os números do Departamento de Energia dos EUA. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: