Via Varejo tem lucro de R$ 132 milhões no 2º trimestre

A empresa obteve crescimento de 103% ante mesmo etapa de 2020, apoiado no forte crescimento no comércio eletrônico

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Via Varejo divulgou hoje (11) que o lucro líquido do segundo trimestre cresceu 103% ante mesmo etapa de 2020, a R$ 132 milhões, apoiado no forte crescimento no comércio eletrônico, na esteira de medidas de isolamento social.

A companhia, dona das redes Casas Bahia e Ponto, além do banco digital Banqi, registrou uma receita bruta no conceito GMV de R$ 11,4 bilhões, expansão de 51% sobre o desempenho do mesmo período do ano passado.

LEIA MAIS: Via Varejo obtém licença de sociedade de crédito e deve ampliar sua oferta de serviços

Segundo a empresa, cerca de 65% do GMV deveu-se às vendas digitais, que corresponderam a cerca d eR$ 7,5 bilhões, incremento de 35,7% na base anual.“Começamos o ano com 10 mil vendedores em nossa plataforma e em julho já batemos 70 mil”, afirmou a companhia em comentário sobre o desempenho. O número de produtos disponíveis (SKUs) disparou de 3 milhões em março do ano passado para quase 30 milhões no final de junho deste ano.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 485 milhões, queda de 12,6% na comparação anual, com a margem encolhendo 4,4 pontos, para 6,2%. Analistas esperavam Ebitda de R$ 550 milhões, segundo a Refinitiv.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Focada em acelerar seu crescimento no comércio eletrônico ante grupos como Mercado Livre, Magazine Luiza e Americanas, a Via Varejo registrou salto de 47% nas despesas de vendas, gerais e administrativas, atingindo R$ 2 bilhões. 

Segundo a empresa, a comparação “fica prejudicada” já que no segundo trimestre de 2020 o governo federal ofereceu medidas que beneficiaram as empresas por conta do cenário de pandemia, incluindo suspensão de contratos de trabalho, postergação e ou suspensão de pagamento de aluguéis e outros benefícios.

A companhia totalizou pouco mais de 4 milhões de clientes ativos no crediário em junho e com uma carteira de R$ 4,74 bilhões, aumento de 53% ante mesmo período de 2020.(Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

 

Compartilhe esta publicação: