Empresa de cartões de recarga RV Tecnologia pede registro para IPO

A oferta da companhia será coordenada pelo Itaú BBA, BTG Pactual e UBS-BB.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

RV Tecnologia busca por recursos para expandir seu negócio principal de cartões de recarga, serviços financeiros e terminais de pagamentos

Acessibilidade


A RV Tecnologia pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO), em busca de recursos para expandir seu negócio principal de cartões de recarga , além de serviços financeiros e terminais de pagamentos (POS).

Criada em 2002, a uma RV vende cartões de recarga celular e TV, cartões de transporte, os chips de telefone, terminais para pagamento com cartões de debito e credito e serviços financeiros, como pagamentos e microsseguros.

LEIA TAMBÉM: Criação de vagas de emprego nos EUA deve ter desacelerado em agosto por variante Delta

A companhia teve receita líquida de R$ 193,88 milhões no primeiro semestre, aumento de 21,9% antes da mesma etapa de 2020, com a margem Ebitda subindo de 16,2% para 21,1%.

No prospecto, a RV afirma que planeja usar os recursos da venda de ações novas para aquisições (M&A), crescimento orgânico e para capital de giro.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na oferta, que será coordenada pelo Itaú BBA, BTG Pactual e UBS-BB, acionistas pessoas físicas da companhia também venderão uma participação no negócio.

A empresa pretende expandir seu negócio vendendo, entre outros, títulos de capitalização, cartões para transporte público, serviços financeiros, recarga de celular pré-pago, e meios de pagamento para serviços como Google Play, IFood, PlayStation, Uber, Netflix e Spotify. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: