Indústria da China tem contração pela 1ª vez desde abril de 2020, mostra PMI do Caixin

Medidas de contenção da Covid-19, gargalos de oferta e preços altos de matérias-primas pesaram sobre a produção

Redação
Compartilhe esta publicação:
Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

Linha de produção da fabricante de baterias de veículos elétricos Octillion , em Hefei, China

Acessibilidade


A atividade industrial da China caiu em contração em agosto pela primeira vez em quase um ano e meio já que as medidas de contenção da Covid-19, gargalos de oferta e preços altos de matérias-primas pesaram sobre a produção.

A desaceleração do setor industrial destaca a fragilidade da recuperação econômica e o impacto das rigorosas restrições devido ao coronavírus no país, dando suporte às expectativas de que Pequim adotará mais medidas de suporte para revitalizar o crescimento.

LEIA TAMBÉM: Rivian planeja IPO de US$ 80 bilhões e disputa com Tesla por mercado de veículos elétricos

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit caiu a 49,2 no mês passado, de 50,3 em julho, abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração.

O resultado ficou bem abaixo da expectativa em pesquisa da “Reuters” de leitura de 50,2. As novas encomendas de exportação registraram contração pela primeira vez desde fevereiro, enquanto as fábricas dispensaram mais trabalhadores do que contrataram.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O mais recente ressurgimento da Covid-19 apresenta um grave desafio para a normalização econômica que começou no segundo trimestre do ano passado”, disse Wang Zhe, economista sênior do Caixin Insight Group, em comentários divulgados junto com os dados.

O subíndice de produção recuou a 47,7, ritmo mais lento desde fevereiro do ano passado, no ápice da pandemia, enquanto o subíndice de novas encomendas caiu a 48,0.

Duas pesquisas oficiais divulgadas ontem (1) mostraram que a atividade industrial da China cresceu a um ritmo mais lento, enquanto o setor de serviços passou a registrar contração. (Com Reuters)

 

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: