Minério de ferro se recupera de mínima de 10 meses e fecha em alta na China

O minério fechou em alta de 3,7%, a US$ 103,41 a tonelada.

Redação
Compartilhe esta publicação:
David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

O minério de ferro fechou em alta de 3,7%, a US$ 103,41 a tonelada

Acessibilidade


Os contratos futuros do minério de ferro na Ásia se recuperaram hoje (22), com o contrato de referência de Dalian saltando de uma mínima de 10 meses, mas ainda havia dúvidas se os ganhos poderiam ser sustentados devido ao colapso na demanda da China e à melhoria das perspectivas de oferta.

O minério de ferro de janeiro na Bolsa de Commodity de Dalian, na China, fechou em alta de 3,7%, a 668,50 iuanes (US$ 103,41) a tonelada, revertendo perdas anteriores que levaram o contrato mais ativo ao seu nível mais baixo desde 26 de novembro.

LEIA TAMBÉM: Fed pode abrir temporada de redução de estímulos, mas limitá-la às perspectivas

Os mercados chineses estiveram fechados na última segunda (20) e ontem (21) por causa de um feriado.

Qualquer trégua nos preços não deve durar muito, já que as atenções se voltam para os embarques mais fortes do Brasil, superando a queda nos carregamentos australianos na semana anterior, disse Atilla Widnell, diretor-gerente da Navigate Commodities em Cingapura.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de outubro do ingrediente siderúrgico subia 15%, para US$ 107,80 a tonelada, às 8h38 (horário de Brasília).

O minério de ferro na bolsa SGX caiu 8% na última segunda-feira (20) em meio a preocupações com os riscos enfrentados pelo mercado imobiliário na China, maior produtora de aço do mundo, com a crise da dívida do Grupo Evergrande.

O minério de ferro spot na China caiu para US$ 103 a tonelada na semana passada, o menor valor em 14 meses, com base nos dados da consultoria SteelHome. Hoje (22), subiu US$ 2, a US$ 105 a tonelada.

“Não há alívio na pressão de corte de produção, já que o governo está pedindo a mais províncias ao redor de Pequim que reduzam sua produção de aço para melhorar a qualidade do ar antes das Olimpíadas de Inverno do ano que vem”, disse o estrategista sênior de commodities da ANZ Daniel Hynes.

VEJA MAIS: Gustavo Pimenta será novo CFO da Vale; Luciano Siani assumirá vice-presidência de Estratégia

O vergalhão de aço para construção na Bolsa de Futuros de Xangai fechou em alta de 2,9%, enquanto a bobina laminada a quente subiu 1%. O aço inoxidável subiu 3,7%.

O carvão metalúrgico em Dalian atingiu seu limite de alta de 9% no fechamento, enquanto o coque avançou 6,4%, ainda apoiado em meio a preocupações com o fornecimento na China. (Com Reuters)

 

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: