Presidente do BC japonês promete manter política monetária frouxa em meio a consumo e inflação fracos

A expectativa é de que a recuperação ganhe força com a força da vacinação, lucros corporativos robustos e despesas de capital.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Haruhiko Kuroda, presidente do Banco Central do Japão

Acessibilidade


O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, enfatizou hoje (30) a prontidão do banco em manter o estímulo massivo à economia, já que as consequências da pandemia estão pesando sobre o consumo e mantendo a inflação distante da meta de 2%.

Kuroda disse que a expectativa é de que a terceira maior economia do mundo mostre sinais mais claros de recuperação à medida que lucros corporativos robustos e despesas de capital compensem parte da fraqueza no consumo.

VEJA TAMBÉM: Autoridades do BC do Japão alertam para atraso na recuperação e riscos relacionados à China

Mas ele alertou que as perspectivas para o consumo, que são a chave para uma recuperação econômica sustentada, são altamente incertas e dependentes da evolução em relação à pandemia.

“O consumo deve aumentar se o progresso nas vacinações permitir que a sociedade controle as infecções enquanto retoma a atividade econômica”, disse Kuroda em evento online.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Com as empresas do setor de serviços ainda enfrentando problemas de financiamento, o banco central do Japão se concentrará em diminuir o impacto da pandemia principalmente por meio de programas de empréstimos implementados no ano passado, disse Kuroda. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: