Yellen diz que default da dívida enfraqueceria os EUA de forma permanente

Secretária do Tesouro disse que uma default vai afetar os mercados e jogar a economia do país em recessão ao custo de milhões de empregos .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Greg Nash/Reuters
Greg Nash/Reuters

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos

Acessibilidade


A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, fez ontem (19) um novo pedido ao Congresso para que aumente o teto da dívida, argumentando que um default da dívida dos Estados Unidos provocará uma crise financeira histórica.

Em artigo de opinião no “Wall Street Journal”, Yellen disse que a crise provocada por uma default vai agravar o dano causado pela pandemia do coronavírus, afetando os mercados e jogando a economia dos EUA em recessão ao custo de milhões de empregos e altas duradouras dos juros.

LEIA TAMBÉM: Bolsas asiáticas recuam sob pressão da incorporadora chinesa Evergrande

“Sairíamos da crise como um país permanentemente mais fraco”, disse Yellen, destacando que a credibilidade dos EUA tem sido uma vantagem estratégica.

Yellen não ofereceu um novo cronograma para um possível default, mas descreveu o dano econômico que cairia sobre os consumidores através de custos de empréstimos mais altos e preços de ativos mais baixos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ela já disse anteriormente que um default poderia ocorrer durante outubro, quanto o Tesouro esgotar suas reservas de dinheiro e a capacidade de empréstimos sob o limite da dívida de US$ 28,4 trilhões.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: