Forbes Radar: Raízen, Mosaico, Itaúsa, Porto Seguro e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Oncoclínicas, Fleury, Embraer, IRB-Brasil e B3.

Artur Nicoceli
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (4), o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a operação entre a B3 e a Dimensa, controlada da Totvs, e validou a compra das marcas de café compostas do pelo termo “Seleto” da JDE Brasil pela Camil.

Ainda nesta manhã, o Banco Inter também informou que irá anunciar o balanço financeiro do terceiro trimestre, dando início a penúltima temporada de 2021. No segundo trimestre, a instituição financeira registrou lucro líquido de R$ 18,2 milhões.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Mosaico (MOSI3) e Banco Pan (BPAN4)

O Banco Pan anunciou ontem (3) que assinou acordo para a incorporação da Mosaico, dona de sites de comparação de preços, que será toda paga com troca de ações.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Mosaico, dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro, estreou na B3 em fevereiro com uma oferta inicial de ações (IPO) de R$ 1,2 bilhão. Na época, a Mosaico afirmou que usaria parte dos recursos da oferta pagar uma dívida com o BTG Pactual, principal acionista do Banco Pan.

Os acionistas da Mosaico receberão 0,8 ação do Banco Pan mais direitos para comprar a ação do credor se ela atingir R$ 24 por três dias consecutivos nos próximos 30 meses. Sem a emissão de direitos, o negócio oferece um prêmio de quase 10% aos acionistas da Mosaico.

Após a conclusão do negócio, a participação da Mosaico no Banco Pan ficaria entre 7,8% e 9,2%.

O negócio mostra a estratégia recente entre bancos de ter seu próprio marketplace, ao mesmo tempo, oferecer serviços financeiros para envolver os clientes. O Banco Inter já lançou um marketplace e o Bradesco revelou planos de criar o seu.

Carlos Eduardo Guimarães, presidente-executivo do Banco Pan, disse em entrevista que o negócio acelera os planos do banco de ter um marketplace para seus 12,5 milhões de clientes, enquanto a Mosaico também planeja agregar serviços financeiros à sua plataforma, que tem 22 milhões de usuários.

O BTG Pactual já é acionista da Mosaico, com 13,3% de participação. A empresa de tecnologia também firmou uma parceria de cinco anos com o BTG em janeiro para oferecer cashback aos clientes do banco.

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa anunciou que passou a ter uma fatia de 15,07% da XP com a fusão entre a corretora e a XPart, ou 4,74% do capital com direito de voto. Após a operação, a Itaúsa e o Itaú Unibanco passarão a ser parte do acordo entre acionistas da XP até outubro de 2026, podendo indicar dois membros para o conselho de administração da XP.

Oncoclínicas (ONCO3)

A Oncoclínicas anunciou que fechou acordo vinculante para compra de 100% da rival menor Unity numa operação de cerca de R$ 1,1 bilhão.

Segundo fato relevante, a Unity tem 24 unidades distribuídas entre Distrito Federal, São Paulo, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Pernambuco e Amazonas.

O valor da compra será de R$ 558 milhões em dinheiro, mais 45.765.246 ações da Oncoclínicas. Pelo preço de fechamento da ação da Oncoclínicas ontem (30), de R$13,47 cada, essa parte do pagamento corresponderia a R$ 616,457 milhões, elevando o pagamento total para R$ 1,174 bilhão.

Fleury (FLRY3)

O Fleury vai intensificar seu crescimento via aquisições, dentro da estratégia de diversificar receitas, mas não pretende entrar numa disputa aberta com operadoras de planos de saúde, disse a presidente do grupo de medicina diagnóstica, Jeane Tsutsui.

“Temos muito para fazer em termos de entrar em novos serviços”, disse a executiva em entrevista à Reuters. “Não vamos substituir as operadoras”, acrescentou.

As declarações de Tsutsui, que assumiu o cargo em abril, vêm em meio a uma onda de aquisições e novos investimentos da quase centenária companhia para se tornar um hub de serviços médicos, num momento de ebulição no mercado de saúde no Brasil catalisado pelos efeitos da pandemia de Covid-19, no ano passado.

Desde então, o Fleury comprou negócios que incluem clínicas ortopédicas, de aplicação de vacinas, de oftalmologia, adquiriu laboratórios de análises no Espírito Santo, lançou sua plataforma de mapeamento genético e outra de prontuários eletrônicos, além de criar um fundo de R$ 200 milhões com a Sabin para investir em startups de saúde.

Embraer (EMBR4)

A Embraer informou que vendeu 50 aeronaves Ipanema EMB-203 em 2021 até o fim de setembro, o que representa um crescimento de 100% sobre todo o ano de 2020.

Segundo a fabricante, a alta reflete o bom desempenho do agronegócio brasileiro e a confiança de empresas agrícolas em antecipar a demanda de 2022, que já responde por 30% das novas encomendas.

Movido a etanol desde 2005, o Ipanema tem cerca de 60% de participação no mercado nacional de pulverização no país, e teve quase 1,5 mil unidades entregues, afirmou a Embraer.

Raízen (RAIZ4)

A Raízen informou que investirá aproximadamente R$ 150 milhões para construção de uma nova unidade de geração de eletricidade a partir de bagaço de cana-de-açúcar, aumentando a sua capacidade de produção em 105.000 MWh/ano.

O anúncio foi feito após a companhia ter sido uma das vendedoras no leilão A-5 da véspera, no qual a fonte de biomassa a partir de cana liderou as ofertas.

Como consequência do leilão, a Raízen disse ainda que firmará determinados contratos de comercialização de energia em ambiente regulado pelo preço mínimo de 273 reais/MWh.

Porto Seguro (PSSA3)

A controlada da Porto Seguro, Portoseg, realizou a aquisição de 50% da conectcar, do Grupo Ultra, por R$ 165 milhões, em 25 de junho.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

IRB-Brasil (IRBR3)

Werner Romera Süffert renunciou ao cargo de diretor vice-presidente executivo financeiro e RI do IRB-Brasil. Ele se desligará ao cargo em 31 de outubro.

B3 (B3SA3) e Totvs (TOTS3)

A B3 anunciou que o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a operação entre a bolsa e a Dimensa, controlada da Totvs. Dessa forma, a B3 passa a ter uma participação minoritária de 37,5% do capital social da empresa de software.

CCR (CCRO3)

A CCR disse que a ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) aprovou o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão rodoviária por sua controlada concessionária do RodoAnel Oeste. Dessa forma, desde ontem (3), haverá um aumento de R$ 0,10 da tarifa praticada nas praças de pedágio do RodoAnel.

Oceanpact (OPCT3)

A OceanPact Netherlands, subsidiária integral da Oceanpact, adquiriu a embarcado de bandeira estrangeira Larissa, do tipo RSV. O valor da operação não foi informado.

Kepler Weber (KEPL3)

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que tinha 8,16% do capital social da Kelper Weber, informou a alienação das ações e passou a deter menos de 5%, possuindo agora 1,5 milhão de ativos.

BIOMM (BIOM3)

A Biomm assinou um acordo exclusivo para o fornecimento da vacina Convidecia no Brasil e prioritário para a comercialização de todo o portfólio de vacinas da CanSinoBIO em território nacional.

A CanSinoBIO, com sede na cidade de Tianjin, na China, é uma empresa de biotecnologia listada nas bolsas de Shangai e Hong Kong e “vem desenvolvendo 16 vacinas destinadas a prevenção de 13 doenças, estando algumas delas já aprovadas”, informou a companhia.

Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Vale (VALE3)

A Girocantex, subsidiária da Hidrovias do Brasil, recebeu da Corumbaense Reunida, subsidiária da Vale, um contrato informando que, para 2022, irá requerer da companhia a dedicação de oito comboios para a prestaçã de serviços, sendo o transporte de 3,2 mil toneladas de minério de ferro por ano na hidrovia Paraguai-Paraná, pelo período de 25 anos.

Camil (CAML3)

A Camil disse que o Cade aprovou sem restrições a compra das marcas de café compostas do pelo termo “Seleto” da JDE Brasil, proprietária as marcas de café Pilão, Do Ponto e Pelé.

Light (LIGT3)

A Light anunciou que sua controlada Light Serviços de Eletricidade adquiriu energia no Leilão de Energia Nova A-5, realizado pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). Foram contratados 61,41 MWmédios, ao preço médio de R$238,37/MWh, com início de fornecimento em janeiro de 2026 e vigência de até 25 anos.

“Essa energia irá substituir contratos atualmente em vigor que possuem vencimento em dezembro de 2024 e preço atualizado de até R$357,85/MWh, representando assim uma redução de 33,4%”, informou a companhia.

Suzano (SUZB3)

A Suzano nomeou a nova diretoria executiva de sustentabilidade: Cristina Gil White, assumirá o cargo de diretora executiva de sustentabilidade, ocupando o cargo de Pablo Machado, que se manterá como diretor executivo de negócios na China.

Sul América (SULA11)

A Sul América disse que após o cumprimento das condições precedentes previstas no contrato firmado com a Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa, no Paraná, foi concluída “com sucesso” a operação de compra da carteira de planos privados de assistência à saúde pela Paraná Clínicas – Planos de Saúde, sociedade controlada indiretamente pela companhia.

JBS (JBSS3)

A BNEDESPAR anunciou que cancelou o processo de alienação das ações da JBS, que seria feito via uma potencial oferta pública secundária de ativos.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: