Healthtech Alice capta R$ 729 milhões em rodada série C liderada por Softbank

Em dois anos, a startup já recebeu quase R$ 1 bilhão em investimentos.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Guilherme Azevedo, André Florence e Matheus Moraes, os fundadores da Alice

Acessibilidade


A healthtech Alice recebeu hoje (21) aporte de US$ 127 milhões (cerca de R$ 729 milhões) em uma rodada série C realizada apenas dez meses após a série B.

Em dois anos, a startup já atraiu mais de US$ 174 milhões (aproximadamente R$ 999 milhões) em investimentos.

“Agora, com mais capital, intensificaremos os investimentos em tecnologia, no Time de Saúde, em coordenação de cuidado e saúde baseada em resultados (value based health care) para continuar reconstruindo a saúde no Brasil” afirma André Florence, CEO e co-fundador da Alice, em comunicado.

LEIA MAIS: André Florence, CEO da Alice, sobre investimentos e tendências: “tecnologia vai reduzir custos de saúde e beneficiar a sociedade”

A rodada foi liderada pelo SoftBank Latin America Fund (SBLA) e contou com a participação de Kaszek e ThornTree Capital Partners, que já haviam investido na empresa. Entre os novos investidores estão Allen & Company LLC, G Squared, Globo Ventures e StepStone. Canary, Endeavor Catalyst e Maya Capital também são acionistas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Alice é uma gestora de saúde que propõe uma alternativa ao convênio médico tradicional. Com uma base atual de cerca de seis mil clientes e um crescimento médio desde seu lançamento de 30% ao mês, a startup oferece atendimento via telemedicina e uma rede de parceiros que inclui os hospitais paulistanos Oswaldo Cruz, Sabará e a ProMatre Maternidade, além dos laboratórios Fleury e A+.

A expectativa da healthtech é terminar 2021 com 600 funcionários – um crescimento de 430% em relação ao ano anterior.

A empresa tem uma proposta de cuidado contínuo e baseado em dados e métricas – o histórico de saúde dos clientes, que a healthtech chama de “membros”, fica registrado no aplicativo.

O acompanhamento da rotina e objetivos de saúde dos clientes é feito por uma equipe de especialistas de diferentes especialidades que inclui médicos, enfermeiros e nutricionistas. o contato acontece por meio do aplicativo, via texto, áudio ou videochamada, e os profissionais direcionam o paciente para o atendimento presencial quando necessário.

A última rodada de investimentos, no valor de US$ 33,3 milhões (cerca de R$ 190 milhões), ocorreu em fevereiro deste ano. “Percebemos um grande interesse dos investidores pela Alice e decidimos antecipar a rodada”, afirma Luiz Octávio Maluf Santos, CFO da healthtech. “Isso mostra a confiança dos investidores no potencial da Alice.”

Compartilhe esta publicação: