Forbes Radar: CSN, Petrobras, Tesla e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: CSN, Valid, Petrobras, Sequoia, Tesla, Alibaba, Volkswagen.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (7), a CSN anuncia abertura de um novo programa de recompra de ações, por meio do qual a companhia pretende adquirir até 30 milhões de ações ordinárias.

Já a Petrobras concluiu a venda das três usinas termoelétricas movidas a óleo combustível, localizadas em Camaçari (BA), para a São Francisco Energia, pelo valor de R$ 61 milhões.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

CSN (CSNA3)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A CSN aprovou em reunião do conselho de administração o encerramento do atual programa de recompra de ações, iniciado em 21 de junho deste ano, e a abertura de um novo, que prevê aquisição de até 30 milhões de ações ordinárias até 20 de junho de 2022.

Petrobras (PETR3, PETR4)

A Petrobras concluiu a venda das três usinas termelétricas movidas a óleo combustível, localizadas em Camaçari (BA), para a São Francisco Energia, que pagou R$ 61 milhões, informou a estatal ontem (6).

A compradora é subsidiária da Global Participações em Energia. As usinas Arembepe, Bahia 1 e Muricy têm potência total instalada de 329 MW.

Também ontem (7), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu investigação para apurar notícias envolvendo a Petrobras após o presidente Jair Bolsonaro ter afirmado no final de semana que a petrolífera anunciaria redução nos preços dos combustíveis.

A companhia afirmou que não foi tomada nenhuma decisão sobre o assunto e que não antecipa decisões sobre reajustes de preços. A alta dos combustíveis tem impulsionado os custos ao consumidor e a inflação, o que tem levado o Banco Central a elevar a taxa Selic. Só neste ano, a taxa básica de juros subiu de 2% para 7,75% ao ano.

Valid (VLID3 )

A Valid anunciou pagará juros no valor total de R$ 165,63170000 por debênture, totalizando R$ 5.962.741,20. O valor será creditado ainda hoje (7) nas contas correntes indicadas pelos debenturistas detentores dos títulos da sétima emissão realizada pela companhia, em 2018. Ao todo, foram emitidas 36 mil debêntures.

Sequoia (SEQL3)

A Sequoia registrou crescimento de 81% em seu volume de entregas durante a semana da Black Friday, em comparação com a mesma semana de 2020. O crescimento orgânico foi de 75% e a receita bruta aumentou 57%.

Tesla (TSLA34)

As ações da Tesla caíram 5% na manhã de ontem (6) após a agência Reuters noticiar que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) investiga alegações de que a fabricante de veículos elétricos não informou adequadamente os riscos de segurança associados a painéis solares fabricados pela SolarCity.

A investigação tem como base uma denúncia anônima feita em 2019 por um ex-gerente de qualidade. O ex-funcionário alega que a Tesla e a SolarCity, que foi adquirida pela fabricante de carros em 2016, não informaram “riscos de danos à propriedade, riscos de danos a usuários e riscos de incêndio” antes da aquisição. Leia aqui a notícia completa.

Alibaba (BABA34)

O Grupo Alibaba informou que irá reorganizar suas operações de comércio eletrônico internacionais e na China, e anunciou um novo diretor de finanças. As mudanças ocorrem no momento em que a companhia é desafiada por forte concorrência, desaceleração econômica e pressão regulatória.

O Alibaba formará duas novas unidades – comércio digital internacional e comércio digital na China. A medida, segundo a empresa, é parte dos esforços para se tornar mais ágil e acelerar o crescimento. Leia aqui a notícia completa.

Volkswagen (ETR: VOW3)

O presidente-executivo da Volkswagen, Herbert Diess, provavelmente ficará no comando da maior montadora de veículos da Europa como parte de um acordo para pôr fim a disputas com líderes sindicais, afirmaram duas fontes com conhecimento do assunto à agência Reuters.

A solução, que prevê que Diess abra mão de parte das suas funções, potencialmente encerrará os problemas na liderança, que causaram incerteza entre investidores e levaram as ações do grupo a registrar forte queda nas últimas semanas.

O presidente da marca Volkswagen, Ralf Brandstaetter, vai se juntar ao conselho de administração, enquanto Diess, 63, focará na estratégia, disseram as fontes.

Diess já havia cedido parte de suas atribuições para Brandstaetter na marca Volkswagen no ano passado, após semanas de desentendimentos entre líderes sindicais e a administração da companhia sobre ritmo e escala dos planos de cortes de custos.

Compartilhe esta publicação: