Ronaldo acerta compra do Cruzeiro em acordo de investimento de R$400 milhões

Ronaldo, que jogou no Cruzeiro no início dos anos 1990, realizou aquisição com assessoria da XP.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty
Getty

Ronaldo Luís Nazário de Lima no The Best FIFA Football Awards 2019 no Teatro Alla Scala, na Itália

Acessibilidade


Ronaldo anunciou neste sábado a compra do Cruzeiro, em uma transação que prevê investimentos de R$ 400 milhões ao longo dos “próximos anos” e assessorada pela XP.

Ronaldo, 45, jogou pelo Cruzeiro quando era adolescente no início dos anos de 1990 antes de se tornar um dos mais bem sucedidos centroavantes da história do futebol. A transação foi feita por meio de sua empresa Tara Sports.

A operação, porém, ainda está sujeita a uma série de condições, afirmou a XP. A transação “vislumbra o reequilíbrio financeiro e operacional do departamento de futebol do clube, com um plano de crescimento sustentável de médio e longo prazos”.

“Estou tão feliz em concluir esta operação”, disse Ronaldo segundo o jornal O Globo, acrescentando que quer “devolver ao Cruzeiro e levar o time para onde ele merece estar”.

SAIBA MAIS: BRF propõe aumento de capital por meio de ‘follow-on’ e pode levantar R$ 6,6 bi

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A compra do time mineiro da segunda divisão é a segunda empreitada de Ronaldo em gestão esportiva. Ele comprou uma participação de 51% no clube espanhol Real Valladolid em 2018.

O anúncio foi feito alguns meses depois que o Congresso sancionou legislação que permite aos clubes de futebol se tornarem empresas.

“Esse é o primeiro negócio de uma nova frente relevante para o mercado de investment banking no Brasil”, disse o presidente-executivo do Banco XP, José Berenguer.

“Não tenho dúvida de que é transformacional na história do esporte brasileiro. Teremos clubes ainda mais fortes, com capacidade de investimento em nível global. O futebol brasileiro nunca mais será o mesmo.” (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: