Bilionários da Americanas perdem R$ 3,5 bilhões com ecommerce fora do ar

Vendas online respondem por 60% das receitas do grupo, que divulga balanço na quinta-feira (24).

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:
Americanas/Divulgação
Americanas/Divulgação

Sites da Americanas ainda estavam fora do ar na tarde de hoje (22)

Acessibilidade


Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Herrmann Telles, os bilionários sócios da Americanas (AMER3), já perderam R$ 3,5 bilhões após a companhia tirar do ar os sites de ecommerce do grupo.

A suspensão das operações das Lojas Americanas, Submarino e Shoptime começou no sábado (20), quando o grupo detectou um possível ataque hacker.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Lemann, atualmente a 115º pessoa mais rica do mundo e dono da maior fortuna do Brasil, segundo o ranking da Forbes, perdeu R$ 1,8 bilhão de seu patrimônio desde o final de semana. Telles, que ocupa o 182º lugar da lista, teve perdas de R$ 917 milhões. Sicupira, na 269º posição, viu sua fortuna encolher R$ 770 milhões.

A companhia já perdeu mais de R$ 2 bilhões em valor de mercado e afirmou, na noite de ontem (21), que está trabalhando para avaliar a extensão do evento e normalizar o funcionamento dos ecommerces o mais rápido possível.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Para Rob Correa, analista de investimentos CNPI e autor do livro “Guia do Investidor de Sucesso no Longo Prazo”, o acontecimento é preocupante, uma vez que o canal online da Americanas representa 60% das receitas do grupo.

Hoje, as lojas contam com 50 milhões de clientes ativos. Por dia, as receitas do grupo nos canais digitais são de, em média, R$ 49 milhões.

Além da queda das ações e do prejuízo causado pela suspensão, o analista aponta que o investidor também deve se atentar ao impacto do episódio na reputação das marcas.

“A grande dúvida do mercado agora é: como será a visão dos consumidores desses sites daqui para frente? Como não houve confirmação de vazamento de dados pessoais, até agora não houve quebra de confiança. Mas, caso seja divulgado um vazamento de dados, os consumidores ficarão céticos em comprar novamente nas plataformas”, diz Correa.

Está na hora de comprar ações da Americanas (AMER3)?

De acordo com o relatório divulgado pela XP Investimentos hoje, é importante monitorar quanto tempo levará para normalizar as operações e assim entender melhor o potencial impacto nos resultados da Americanas.

Os analistas da XP mantiveram a recomendação neutra para os papéis, com preço-alvo de R$ 40 por ação. As ações fecharam em queda 5,40%.

Balanço do 4º trimestre

A companhia irá divulgar seu balanço financeiro do 4º trimestre de 2021 na quinta-feira (24) e, apesar das turbulências nas operações, a expectativa de Correa é positiva.

Nos nove meses iniciais do ano passado, o valor total de mercadorias que circulou nas plataformas do grupo foi de R$ 37,1 bilhões, crescimento de 35% comparado ao mesmo período de 2020.

A companhia, que havia apresentado um prejuízo de R$ 91 milhões nos primeiros nove meses de 2020, reverteu o resultado para lucro de R$ 241 milhões no mesmo período de 2021.

“Não apenas os resultados melhoraram, como também a estrutura de capital. No último balanço divulgado, a empresa estava com um endividamento de R$ 12,8 bilhões, mas apresentava R$ 15,8 bilhões de dinheiro em caixa ou facilmente conversíveis em caixa, como é o caso das compras feitas com cartão de crédito”, comenta Correa.

Para o analista, o impacto da suspensão das plataformas de ecommerce de sábado só deve ser sentido no balanço do 1º trimestre de 2022.

Compartilhe esta publicação: