Acionista do Twitter processa Elon Musk por enganar investidores

Marc Bain Rasella afirma que o atraso na divulgação da participação no Twitter permitiu que o bilionário comprasse ações a um preço menor.

Zachary Snowdon Smith
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

O preço das ações do Twitter subiu cerca de 27%, de R$ 184,10 em 1º de abril para R$ 234,02 em 4 de abril, depois que Musk revelou sua participação na empresa

Acessibilidade


Um acionista do Twitter, na terça-feira (12), entrou com uma ação contra o CEO da Tesla, Elon Musk, alegando que ele manipulou o preço das ações do Twitter ao adiar um anúncio de que havia adquirido mais de 5% da empresa até 14 de março, violando as regras da SEC no processo.

Fatos importantes

Em uma queixa ao Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Sul de Nova York, o acionista do Twitter Marc Bain Rasella afirmou que o atraso de Musk em fazer a divulgação exigida dentro de 10 dias após adquirir uma participação de 5% no Twitter permitiu que ele comprasse mais ações a um preço menor, valor que iria adquirir de outra forma, aumentando suas participações para 9,1%, e enganando os acionistas que venderam nesse ínterim.

LEIA TAMBÉM: Elon Musk faz proposta para comprar Twitter por US$ 43 bilhões

O preço das ações do Twitter subiu cerca de 27%, de R$ 184,10 em 1º de abril para R$ 234,02 em 4 de abril, depois que Musk revelou sua participação na empresa. Rasella está buscando o status de ação coletiva para seu processo em nome de todos os investidores que venderam “ou de outra forma descartaram” ações do Twitter entre 24 de março e 1º de abril, na sexta-feira anterior ao anúncio de Musk. O Twitter não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Fundo chave

Depois de se tornar o maior acionista do Twitter, Musk foi convidado a se juntar ao Conselho de Administração de 11 assentos, uma oferta que ele inicialmente pareceu aceitar, concordando em não comprar mais de 14,9% de participação na empresa ou assumi-la. No domingo, Musk mudou de rumo, com o CEO do Twitter, Parag Agrawal, anunciando que Musk não se juntaria ao conselho, embora o conselho permanecesse “aberto às opiniões de Musk”. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Após criticar o Twitter, Musk sugere a criação de uma nova rede social

Musk perguntou aos seus seguidores na semana passada: “Para uma democracia, liberdade de expressão é essencial, mas você acredita que o Twitter adota esse princípio de forma rigorosa?”. Das respostas, o Não teve 70% dos 2 milhões de votos recebidos. Diante do resultado, ele postou novamente: “Considerando que o Twitter deveria ser uma praça pública, falhar ao aderir os princípios de liberdade de expressão prejudica a democracia. Como resolver? Criar uma nova rede social?”

Compartilhe esta publicação: