EUA sancionam os dois maiores bancos russos e proíbem investimentos no país

Nova rodada de sanções conta com cooperação da União Europeia e países do G7 .

Derek Saul
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Além dos dois bancos russos mais importantes, os EUA também sancionaram as duas filhas do presidente Vladimir Putin

Acessibilidade


Os Estados Unidos proibiram os norte-americanos de fazer novos investimentos na Rússia e impuseram bloqueios integrais às operações dos maiores bancos do país, SberBank e Alfa Bank. As medidas fazem parte de uma nova rodada de sanções anunciada pela Casa Branca hoje (6). 

A decisão foi tomada em resposta às atrocidades cometidas pela Rússia na Ucrânia, segundo a Casa Branca. Washington citou especificamente os acontecimentos na cidade de Bucha, onde soldados russos supostamente massacraram centenas de civis ucranianos.

LEIA TAMBÉM: EUA e aliados vão proibir investimentos na Rússia e sancionar bancos

A Casa Branca também anunciou sanções contra Katerina Tikhonova e Maria Vorontsova, filhas do presidente russo, Vladimir Putin. Uma autoridade do governo Biden afirmou a repórteres que há provas que mostram que Putin poderia estar usando familiares para esconder bens em instituições financeiras norte-americanas.

Embora a Casa Branca tenha descrito as novas sanções como “devastadoras”, ainda não está claro se elas serão eficazes. O Sberbank afirmou em comunicado que as penalidades não terão um “impacto significativo nas operações do banco”. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Alfa Bank, por sua vez, disse que continuará as operações comerciais normalmente na Rússia, embora seu porta-voz tenha dito à Reuters que não está claro qual será o impacto das sanções sobre as participações em dólares dos clientes no banco. 

As medidas são uma ação coordenada dos EUA com a União Europeia e o G7 (Alemanha, Canadá, França, Itália, Japão e Reino Unido). 

O Reino Unido também anunciou bloqueios integrais aos dois bancos.

O Sberbank é a maior instituição financeira estatal da Rússia e controla cerca de um terço dos ativos bancários do país. Já o Alfa Bank é o maior banco privado da Rússia e foi cofundado pelo oligarca Mikhail Fridman – o bilionário foi alvo de sanções da União Europeia e do Reino Unido. 

Os EUA já anunciaram várias rodadas de sanções à Rússia após a invasão da Ucrânia, incluindo o banimento de diversos bancos russos do sistema internacional de mensagens financeiras SWIFT – mas deixando o Sberbank e o Alfa Bank de fora. 

O Goldman Sachs estima que o PIB (produto interno bruto) da Rússia pode contrair 10% em 2022. Uma autoridade dos EUA afirmou hoje que as sanções podem reduzir o padrão de vida dos russos a níveis comparáveis aos últimos dias da União Soviética, na década de 1980.

Compartilhe esta publicação: