Rússia afrouxa algumas restrições para transferência de dinheiro ao exterior

Medidas não se aplicam a residentes e não residentes de países que impuseram sanções contra a Rússia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Rússia aumentou o limite das transferências estrangeiras

Acessibilidade


O banco central da Rússia informou hoje (1) que está reduzindo restrições às transferências de recursos estrangeiros para pessoas físicas por um período de seis meses.

O banco disse que as medidas, que aumentam um limite anterior de recursos que podem ser transferidos para o exterior, não se aplicam a residentes e não residentes de países que impuseram sanções contra a Rússia por causa da Ucrânia.

VEJA TAMBÉM: Inflação na Rússia vai acima de 15%, para máxima desde setembro de 2015

“Dentro de um mês, os indivíduos têm o direito de transferir não mais que US$ 10.000 americanos ou o equivalente em outra moeda a partir da Federação Russa de sua conta em um banco russo para sua conta ou para outra pessoa no exterior”, disse o banco em um comunicado.

O banco acrescentou que as transferências para o exterior a partir de contas bancárias de não residentes, pessoas físicas ou jurídicas de países que impuseram sanções estão suspensas pelos próximos seis meses.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A medida aliviará a pressão sobre os russos que enviam recursos regularmente para parentes no exterior ou para aqueles que deixaram o país e ficaram sem acesso aos seus recursos em casa.

“Do ponto de vista econômico, este é um primeiro e ainda muito cauteloso passo para aliviar as restrições ao movimento de capital”, disse Dmitry Polevoy, analista da corretora Loko-Invest, com sede em Moscou.

“A escolha de (suspender algumas restrições) para indivíduos também é compreensível… os riscos para a estabilidade financeira são menores.”

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

No mês passado, o banco central disse que estava suspendendo temporariamente as transferências de pessoas jurídicas e pessoas físicas estrangeiras de vários países para contas no exterior. Também limitou as transferências ao equivalente a não mais de 5.000 dólares por mês.

Compartilhe esta publicação: