Chefe da OCDE está "discretamente otimista" sobre aprovação de acordo de imposto mínimo global pela UE

Proposta foi fechada no ano passado entre quase 140 países para estabelecer uma alíquota de imposto mínima de 15% para empresas multinacionais

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Ian Langsdon/Reuters
Ian Langsdon/Reuters

Secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann

Acessibilidade


O chefe da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) disse hoje (24) estar “discretamente otimista” de que um acordo histórico para estabelecer um imposto mínimo global será aprovado pelos membros da União Europeia, mas sua implementação pode não ocorrer até 2024.

O secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, também disse a um painel no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que é “evidentemente” do interesse dos Estados Unidos aderir ao acordo fechado no ano passado entre quase 140 países para estabelecer uma alíquota de imposto mínima de 15% para empresas multinacionais.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Estou discretamente otimista de que a Comissão Europeia apresentará a diretiva para implementar” o acordo, disse Cormann.

As declarações de Cormann vieram após o ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, dizer hoje (24) que está confiante de que os ministros das Finanças da UE apoiarão por unanimidade o imposto mínimo global no próximo mês.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A aprovação pela UE foi adiada por objeções da Polônia, que vetou um compromisso em abril para lançar o acordo de 137 países.

Compartilhe esta publicação: