Credit Suisse congelou US$ 10,6 bilhões em ativos sancionados no 1° trimestre

O relatório deu detalhes dos resultados do primeiro trimestre, originalmente publicados na semana passada.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

O Credit Suisse também disse que os clientes russos agora detêm menos de 4% dos ativos em seus negócios de gestão de patrimônio

Acessibilidade


O Credit Suisse congelou 10,4 bilhões de francos suíços – US$ 10,63 bilhões ( R$ 53,19 bilhões) – em ativos de clientes ricos no primeiro trimestre, após sanções impostas em conexão com a invasão da Ucrânia pela Rússia, mostrou documento do banco hoje (5).

O relatório deu detalhes dos resultados do primeiro trimestre, originalmente publicados na semana passada.

O banco também disse que os clientes russos agora detêm menos de 4% dos ativos em seus negócios de gestão de patrimônio.

Na semana passada, o Credit Suisse havia reportado um prejuízo líquido de 273 milhões de francos suíços (R$ 1,3 bilhão) no trimestre , em meio a provisões para litígios líquidos de 703 milhões de francos (R$ 3,5 bilhões), bem como um golpe de 206 milhões de francos (R$ 1 bilhão) ligado ao conflito na Ucrânia.

O relatório financeiro publicado hoje (5) mostrou que os empréstimos brutos com baixa contábil aumentaram 230 milhões de francos (R$ 1,1 bilhão) em relação ao final de 2021.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Credit Suisse disse que isso foi impulsionado pelo financiamento de aviação e iates, financiamento de exportação e hipotecas europeias, parcialmente compensados ​​por uma diminuição no financiamento de navios.

O Credit Suisse disse que temores com liquidez e solvência persistem no setor imobiliário da China, com impactos adversos na economia chinesa e nos mercados globais.

Forbes abre inscrições para lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: