Lucro da Vittia sobe 23% no 1º trimestre impulsionado por defensivos biológicos

Empresa de biotecnologia e insumos para agricultura registrou lucro líquido de R$ 15,58 milhões no período.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Inaê Riveras/Reuters
Inaê Riveras/Reuters

Lavouras de soja (à esquerda) e milho em Cruz Alta, no Rio Grande do Sul

Acessibilidade


A Vittia, empresa de biotecnologia e insumos agrícolas, reportou lucro líquido de R$ 15,58 milhões para o primeiro trimestre, alta de 23% no comparativo anual, impulsionado por ganhos no segmento de defensivos biológicos, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado alcançou R$ 26,2 milhões no trimestre, avanço de 20,2% ante os três primeiros meses de 2021.

A receita líquida atingiu R$ 156,5 milhões, aumento de 30,9% no ano a ano.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“O destaque do trimestre foi um crescimento de receita bruta de 53,3% na linha de defensivos biológicos, um dos focos de investimentos e esforço comercial da empresa”, disse à Reuters o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Alexandre Del Nero Frizzo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo ele, o segmento se tornou uma opção mais atrativa no atual momento de alta de custos com os defensivos químicos importados.

“No defensivo biológico, ano passado crescemos 80%, este ano estamos com um ritmo bom, ele acaba sendo uma alternativa. Não é um produto 100% substituto, mas é aplicado combinado ao químico”, disse o executivo.

“É uma solução eficiente para controle de pragas e em termos de custo, em reais por hectare, ele tem sido mais competitivo”, acrescentou Frizzo.

Na véspera, o sindicato que representa a indústria de defensivos químicos Sindiveg disse que o setor enfrenta gargalos logísticos para importar insumos da China devido ao lockdown contra a disseminação do coronavírus, o que tem onerado toda a cadeia de agroquímicos.

Forbes abre inscrições para lista Under 30 2022

Ainda de acordo com a Vittia, o segmento de biológicos, que inclui além dos defensivos os inoculantes (fertilizantes biológicos), cresceu 44,6% em receita líquida, representando 21,1% do total do primeiro trimestre, incremento de dois pontos percentuais contra o mesmo período de 2021.

Diante de incertezas para a oferta global de fertilizantes causada pela guerra na Ucrânia e os entraves logísticos para os defensivos químicos, Frizzo disse que o produtor está “com a cabeça mais aberta” para estudar alternativas, como os biológicos.

O desempenho vai em linha com as expectativas da empresa, citadas em reportagem da Reuters pouco tempo após o início da guerra.

Compartilhe esta publicação: