Tether, a maior stablecoin do mundo, perde paridade com dólar em meio à queda das criptomoedas

Tether seguiu os passos do terraUSD, que se desvalorizou e começou a ser negociado abaixo de US$ 1,00 na segunda-feira (9).

Robert Hart
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A queda, cerca de 6% abaixo de US$ 1, ocorre em meio ao cenário de grandes perdas.

Acessibilidade


O tether (USDT), a maior stablecoin do mundo, caiu abaixo de US$ 1,00 hoje (12), intensificando as preocupações de investidores em meio a um crash em todo o mercado de criptomoedas.

O tether é uma stablecoin que deveria manter a paridade com o dólar, mas era negociado a US$ 0,99 (cerca de R$ 5,02) na tarde desta quinta-feira, de acordo com a Coinbase.

Leia mais: O que são stablecoins? Entenda como funciona esse tipo de criptomoeda

A queda, cerca de 6% abaixo de US$ 1, ocorre em meio ao cenário de grandes perdas das criptomoedas que apagou bilhões do mercado. Outra stablecoin, o terraUSD, perdeu completamente sua paridade com o dólar nesta semana.

Diferentemente do terraUSD, que utiliza um token, Luna, para manter seu valor a US$ 1,00, o tether diz que suas criptomoedas são lastreadas em reservas reais, embora o grupo seja alvo de críticas por causa da falta de transparência sobre esses ativos. Em 2021, a US Commodity Futures Trading Commission multou o tether em US$ 41 milhões por causa de declarações enganosas sobre as reservas .

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O CTO do tether, Paolo Ardoino, disse que o grupo está honrando os resgates do USDT em US$ 1 e que a empresa já realizou mais de 300 milhões deles nas últimas 24 horas “sem a menor dificuldade”.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As stablecoins deveriam ser um refúgio relativamente seguro nos mercados de criptomoedas, que são altamente voláteis. Elas são mantidos estáveis ​​por serem atrelados a outros ativos – incluindo dinheiro fiduciário, como o dólar, e ativos tangíveis, como ouro – ou por meio de um algoritmo .

Com uma capitalização de mercado de mais de US$ 80 bilhões (R$ 409 milhões), o tether é de longe a maior stablecoin do mundo e a terceira maior criptomoeda. Ele ocupa um papel central no mercado de criptoativos e é usado para completar outras transações e armazenar valor.

Autoridades regulatórias, inclusive nos Estados Unidos, já afirmaram que as stablecoins são uma parte do mercado de criptomoedas que precisa de normas e regulações. Janet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA, pediu uma “regulação federal consistente” sobre os ativos, que, para ela, são um risco para a estabilidade financeira.

Compartilhe esta publicação: