Letícia Nanci, dermatologista, defende: “a estética não pode estar acima da saúde”

Divulgação
Divulgação

Para Letícia Nanci, é preciso adotar hábitos saudáveis, como boa nutrição e atividades físicas

Formada há 22 anos pela Universidade Gama, residência em dermatologia pela Santa Casa do Rio de Janeiro com o renomado prof Azulay, Letícia Nanci é membro titular especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), e membro há 12 anos da American Academy of Dermatology (AAD), e médica do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Quando chegamos ao final de um ano atípico e totalmente desafiador, a doutora Letícia chama a atenção para um termo que passou a ser muito usado nesses dias de pandemia: autocuidado. “Trata-se de uma prática que diz respeito a uma atitude ativa e responsável em relação à qualidade de vida”, define. “Não basta tratar as enfermidades. É preciso buscar a prevenção, adotando hábitos saudáveis, como boa nutrição e atividades físicas”, explica a médica dermatologista que observou uma sensível mudança de comportamento entre os pacientes que atende em sua clínica em São Paulo.

“Vi um movimento muito interessante de pessoas não em busca de soluções urgentes, para ontem, mas de um planejamento a longo prazo. Interessadas, sobretudo, na saúde”, comenta. Segundo ela, a pandemia colocou todo mundo para pensar e reavaliar a própria rotina, a maneira de viver e os planos futuros: “Nos proporcionou um olhar mais cuidadoso para dentro de nós”. E aí entra o autocuidado, que tem a ver com hábitos bem-vindos ao corpo, à mente e à sociedade em geral.

Atendendo pessoas de todos os gêneros e idades, ela fala sobre a diversidade que encontra entre os pacientes: “Quando atendo os mais jovens procuro conversar muito e informar sobre a importância de se manter a saúde da pele a longo prazo”. Das mulheres, costuma ouvir: “Gosto porque seu tratamento me deixa com aparência natural”. Sobre os homens, é direta: “A primeira questão estética masculina é sempre o cabelo. Se tem algo que vai levar o homem ao consultório dermatológico é a calvície”.

Lembrando que a dermatologia avançou muito na última década, Letícia informa que hoje é possível fazer uma prevenção com melhora da saúde da pele com reversão do envelhecimento e, ao mesmo tempo, com um bom resultado estético. Seja com laser, ultrassom e injetáveis bem indicados e bem realizados.

Revela que tem ficado um tanto quanto chocada com as transformações a que muitos rostos são submetidos devido à chamada e tão em voga “harmonização facial”. Mas pondera: “não estou aqui para dizer o que é certo ou errado, mas sim no que eu acredito e defendo”. Letícia trabalha visando sobretudo a longevidade, o autocuidado e o bem-estar de cada paciente. “Antes de qualquer procedimento há uma consulta em que eu examino o paciente do dedão do pé à raiz dos cabelos”, avisa. E aconselha: “a primeira coisa ao procurar um profissional, é se informar sobre ele. A segunda, ver se o olhar desse profissional combina com aquilo que você quer”.

E o botox, Dra. Letícia? “Hoje existem outras opções além do botox, mas ele sempre vai ter o seu lugar porque possui um efeito só dele. O botox age sobre a ruga dinâmica, de expressão, que aparece quando sorrimos ou levantamos a sobrancelha”, esclarece. Sempre reforçando que a pele deve ser tratada previamente antes da aplicação do injetável, para um efeito mais duradouro e aparência natural.

Mais alguma dica? “Não há segredos. A saúde da pele pede alimentação balanceada e saudável – muitas frutas, legumes e verduras – atividade física, menos álcool e menos cigarro.”

E não se esqueça do protetor solar. Além do Sol, o próprio, estamos expostos à iluminação das lâmpadas e das telas do computador e do smartphone. Segundo um estudo recente, avisa a doutora, “uma pessoa que trabalha oito horas por dia, em um escritório durante uma semana, equivale a três horas de exposição à luz do Sol”.

A seguir, Letícia Nanci, #MulherdeSucessoResponde.

Donata Meirelles: Qual o seu maior exemplo de mulher de sucesso?

Letícia Nanci: Três mulheres me inspiram: Luiza Helena Trajano pela garra, visão e determinação. Coco Chanel por ter mostrado ao mundo a elegância na simplicidade. Estée Lauder por ter inovado no setor de cosméticos.

DM: Qual sua ideia de felicidade no trabalho?

LN: Felicidade é ver o impacto positivo e transformador que meu trabalho gera no bem-estar das pessoas. É algo tão gratificante, feito com responsabilidade, comprometimento, dedicação e paixão. Nem vejo as horas passarem.

DM: Eu achava que sucesso era… e descobri que é…

LN: Eu achava que era ser famosa e descobri que é fazer a diferença naquilo que você se propõe. Em meu setor da dermatologia, valorizo a saúde em primeiro lugar, meu olhar está sempre voltado para a naturalidade, respeitando as características individuais de cada paciente. Acredito na prevenção e busco o rejuvenescimento de forma saudável, natural e com foco na longevidade, pois não sigo padrões de beleza. A estética não pode estar acima da sua saúde. Sejamos responsáveis com nosso corpo e mente.

DM: Depois da pandemia qual será a mudança mais significativa na sua área de atuação profissional?

LN: Vejo um crescimento gigante do autocuidado, no sentido mais amplo: rosto, corpo e mente. As pessoas estão priorizando mais a si mesmas… Sinto que os meus pacientes, tanto as mulheres quanto os homens, estão mais preocupados e atentos à saúde e menos apenas à beleza e à estética. Tenho presenciado esse movimento em meu consultório. Percebo uma compreensão muito maior de que a pele é o maior órgão do corpo humano e deve ser tratada com a devida importância e seriedade. Há um novo olhar das pacientes para a dermatologia, aquele que sempre defendi, que prega os cuidados com a pele de dentro para fora e não o contrário. É o reforço da dermatologia que sempre acreditei e pratico: a prevenção, passo fundamental para o envelhecimento saudável e natural.

DM: Se você pudesse escolher um superpoder, qual seria?

LN: A capacidade de espalhar a fé em Deus pelo mundo inteiro, para que todas as pessoas possam experimentar a paz.

DM: Que tipo de hábito ou exercício você recomenda para desligar ou aliviar sua mente?

LN: Exercícios físicos. Eu amo exercício de explosão, como o Muay Thai, que pratico há 12 anos.

DM: Qual mensagem você gostaria de deixar para as próximas gerações?

LN: Sejam persistentes, resilientes e focados em tudo que se proponham a fazer, seja no trabalho ou na vida pessoal. Valorizem e se importem com o outro. Respeitem as diferenças de cada um.

Com Mario Mendes e Antonia Petta

Donata Meirelles é consultora de estilo e atua há 30 anos no mundo da moda e do lifestyle.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).