5 dicas de Bella Falconi para empreender num cenário de mudanças

Divulgação
Divulgação

Bella Falconi foi Forbes Under 30 em 2015

Foi em 2011, como assistente de um banco em Orlando, nos Estados Unidos, que a influenciadora e empresária Bella Falconi descobriu o mundo fitness e começou a explorar as redes sociais para falar sobre o assunto. Ainda incomum entre a maioria das pessoas, seu Instagram tinha 500 seguidores, o que já foi o bastante para transformar sua vida e a colocar no caminho do empreendedorismo. De um cotidiano bancário, passou a comandar lojas de suplementos no exterior e no Brasil, tendo aparecido na Forbes Under 30 em 2015. Hoje, com quatro milhões de seguidores e 36 anos, acaba de lançar uma linha de academias de R$ 4 milhões.

Com investimento da HK Nove Empreendimentos, a primeira unidade, com inauguração prevista para 2024, terá uma estrutura de 300 metros quadrados e estará localizada a 104 metros de altura no rooftop do Hilton Garden Inn, de Itapema, Santa Catarina. “Hoje, por conta da pandemia e das fronteiras fechadas, que provocaram a desaceleração do turismo em Orlando, estou investindo no nosso país. Eu já tinha um networking bom por aqui, então decidi explorar novas possibilidades”, conta Bella, que por muitos anos teve uma vida dividida entre Estados Unidos e Brasil. Com o novo projeto, ela planeja centralizar seus negócios em solo nacional.

LEIA TAMBÉM: Como Julia Petit foi da comunicação ao mundo dos negócios agradando três gerações

Em processo de desenvolvimento há três anos, a academia é mais do que um simples espaço de treino. Junto dos sócios e empresários KK Borges, Diego Tardelli e Joaquim Vicente, a influenciadora esteve presente em cada decisão, desde a cor das paredes até os equipamentos explorados. No entanto, seu papel tem um diferencial. “Se um hóspede quiser fazer um treino de madrugada, é possível acionar uma aula particular da Bella em um totem de alta tecnologia”, explica Borges. “Sempre com o acompanhamento de um profissional de educação física”, completa a empreendedora.

A ideia é se destacar de outras academias pelo horário de funcionamento e atendimento 24 horas – mesmo que seja através de um totem. ‘’Estamos sonhando com esse momento e fazendo tudo com muito carinho para oferecer mais do que um espaço fitness. Agora, só precisamos formatar nosso plano de franquias e iniciar mais uma etapa desse projeto tão especial’’, conta Bella, que planeja levar sua academia para outras redes hoteleiras de luxo.

“Hoje, as pessoas sabem que academias de hotéis são fracas. Queremos mudar isso”, diz Borges. Além da primeira unidade em Itapema – dentro de um prédio com investimento total de R$ 130 milhões – os empreendedores já estão programando os espaços em Gramado e Florianópolis.

Bella está envolvida em um empreendimento milionário, mas nem sempre foi assim. Aos 21 anos, cursando direito, ela teve a certeza de que a área não era o que queria para a vida. Abandonou a graduação no 8º semestre para tentar a chance nos Estados Unidos, onde foi taxista e atendente em uma padaria até conseguir um cargo em um banco. Para muitos, essa chance em uma grande empresa, com carteira assinada e direitos trabalhistas garantidos, parece o cenário ideal para desacelerar e se acomodar.

No entanto, foi nesse emprego estável, que sonhou e lutou para conseguir, que Bella começou a enxergar boas oportunidades no mundo fitness digital. Em um momento que representa muito mais do que uma ousadia momentânea, ela pediu demissão e foi atrás de um novo projeto em que acreditava. “Eu realmente tinha fé em mim, então decidi investir no que fazia meu peito pulsar.”

VEJA MAIS: Para Andrea Orcioli, CEO da Sephora Brasil, “beleza é expressão de transformação, aceitação e autoestima”

Na realidade, tomar grandes decisões sempre foi um talento da empreendedora. De graduação a carteira assinada, ela diz nunca ter se prendido a falsas seguranças pelo medo de arriscar. E é exatamente nisso que pensou ao investir no novo empreendimento e centralizar seus negócios no Brasil. “Temos muito orgulho das nossas lojas em Orlando, mas elas não estão indo bem com a pandemia. Empreendedores precisam saber a hora de parar e se reestruturar”, destaca.

Sem tristeza pelos projetos que ganham um ponto final, Bella se alegra com o lançamento de uma rede de academia com sua cara – literalmente. Mais do que lutar contra o inevitável, a influenciadora elenca a adaptabilidade como uma das características mais importantes do empreendedor atual.

Veja, na galeria de fotos abaixo, cinco dicas de Bella Falconi para empreender em meio a mudanças:

  • 1. Saiba qual o seu limite

    “Comecei a empreender nos Estados Unidos, mas não estava mais dando certo”, diz Bella ao lembrar das lojas de suplementos que estão sendo fechadas por conta da desaceleração do turismo em Orlando durante a pandemia. “Na vida do empreendedor, é preciso saber o momento de tirar o time de campo.” Para a influenciadora, a hora de dar adeus aos negócios no exterior chegou. “Você não pode sangrar se não valer a pena”, esclarece.

    É apenas a partir dessa decisão que o novo projeto consegue ganhar força e atenção. Na visão da empreendedora, o foco agora precisa ser o Brasil – seja na vida pessoal ou na profissional. “O timing a gente aprende na prática no mundo dos negócios. Você pode correr riscos, mas é preciso saber quando e onde.”

  • 2. Aprenda a ser produtivo

    Como uma completa mulher de negócios, Bella é empreendedora, influenciadora digital e, atualmente, escritora. Além disso, ainda concilia a vida de mãe com os treinos e a rotina de mulher casada. “A produtividade é passível de ser aprendida”, diz com humor. A dica da empreendedora é dividir o dia em pequenos rounds. “Meus dias são fatias de pizza. Cada hora eu tenho algo para fazer.” Para se organizar, coloca alarmes para que não perca tempo com distrações e produza o mais rápido possível. “Algumas pessoas acham loucura, mas funciona muito bem. O segredo é conseguir estabelecer momentos produtivos durante o dia”, revela.

    Getty Images/Guido Mieth
  • 3. Observe o movimento do mercado

    Quando decidiu migrar do banco para a internet, Bella pouco sabia do potencial digital que estava prestes a explodir no mundo. Em 2012, o Instagram ainda era uma pequena rede social com alguns curiosos exploradores. No entanto, ela enxergou no ambiente uma oportunidade de se destacar, já que poucos falavam sobre o assunto. “Fui, tecnicamente, pioneira no segmento fitness digital. De certa forma, foi o timing perfeito para investir na carreira”, relembra.

    Hoje em dia, com a movimentação acelerada do mercado, é ainda mais importante estar de olho nas tendências. “Precisamos ter nossas inspirações, ler bons livros, não ter vergonha de perguntar e não abaixar a cabeça quando formos criticados”, destaca a empreendedora. “Não abaixe a cabeça. Saiba quem você é e busque crescer onde deseja.”

    Getty Images/Luis Alvarez
  • 4. Redes sociais não são brincadeira

    Em 2012, Bella utilizou o Instagram e o Facebook como impulsionadores de seu trabalho. Em 2021, o investimento no mundo digital já é considerado essencial para o crescimento de um negócio. Mesmo assim, alguns ainda insistem na ideia de que atuar nas redes é apenas uma grande brincadeira. “Eu me formei em nutrição e sou pós-graduada em teologia. Tudo que eu falo é embasado e didático, mas, ainda assim, as pessoas julgam e depreciam meu lado influenciadora”, desabafa a empreendedora.

    “Eu escolhi tapar meus ouvidos para essas críticas que não me levam a lugar nenhum.” Para ela, a melhor resposta para a ofensa é entregar um conteúdo de qualidade e impacto. “É um trabalho que dá trabalho”, diz entre risadas. “O aprendizado é o que diferencia uma pessoa de sucesso de uma que está parada no lugar. Mas, isso vem com a maturidade.”

    Getty Images/R Franca EyeEm
  • 5. Explore sua coragem com responsabilidade

    Ousadia é uma palavra muito usada no mundo empreendedor. No entanto, Bella encontra ressalvas: é preciso ter coragem e, junto dela, responsabilidade. Assim como o momento em que decidiu pedir demissão do banco para seguir a vida como influenciadora, é preciso deixar o medo para trás e seguir em frente. Mas, claro, sempre com um plano em ação. “Isso também aconteceu quando eu pensei em investir em criptomoedas”, exemplifica. “Eu tinha medo, então separei um dinheiro apenas para investir nisso. Se perdesse, não era uma quantia que ia me surpreender. Fui ousada, mas com responsabilidade”, finaliza.

    Getty Images/FG Trade

1. Saiba qual o seu limite

“Comecei a empreender nos Estados Unidos, mas não estava mais dando certo”, diz Bella ao lembrar das lojas de suplementos que estão sendo fechadas por conta da desaceleração do turismo em Orlando durante a pandemia. “Na vida do empreendedor, é preciso saber o momento de tirar o time de campo.” Para a influenciadora, a hora de dar adeus aos negócios no exterior chegou. “Você não pode sangrar se não valer a pena”, esclarece.

É apenas a partir dessa decisão que o novo projeto consegue ganhar força e atenção. Na visão da empreendedora, o foco agora precisa ser o Brasil – seja na vida pessoal ou na profissional. “O timing a gente aprende na prática no mundo dos negócios. Você pode correr riscos, mas é preciso saber quando e onde.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).