Iorane e brechó online Troc fecham parceria para estimular moda circular

Carol Rabello, diretora de estratégia da Iorane, e Luanna Toniolo, fundadora do brechó Troc, vão entregar 4 mil sacolas para clientes venderem suas peças usadas no brechó.

Fernanda de Almeida
Compartilhe esta publicação:

Quem passar pelas lojas físicas da Iorane ou visitar o e-commerce da marca poderá retirar uma sacola retornável da parceria com a Troc

Acessibilidade


A mineira Carol Rabello é diretora de estratégia da grife Iorane, marca presente nos looks de nove entre dez influenciadoras, com 664 mil seguidores no Instagram. Luanna Toniolo fez uma carreira como advogada tributarista e, em 2017, decidiu fazer uma transição de carreira e fundar a Troc, um brechó online com a ideia de entrar no promissor mercado de moda de segunda mão. O nicho vem crescendo junto com os negócios sustentáveis em todo o mundo e promete ser maior que o mercado convencional em poucos anos. Tanto que, em 2020, Luanna vendeu 75% da empresa para a fabricante de sapatos Arezzo. “Quando você chega num ponto em que a maior casa de marcas do país quer fazer parte disso é porque não é mais uma tendência, é cultura, é o presente”, diz Luanna.

Agora, as duas empreendedoras, Carol e Luanna, se juntam com o propósito de estimular a moda circular. A partir de hoje (22), quem passar pelas lojas físicas da Iorane ou visitar o e-commerce da marca poderá retirar uma das 4 mil sacolas retornáveis produzidas pela parceria. Elas vão servir para que as clientes encham com as roupas que não usam mais e enviem (por Correios ou coleta) para serem revendidas na plataforma do brechó.

  • Luanna Toniolo, fundadora do brechó online Troc

  • Carol Rabello, diretora de estratégia da grife mineira Iorane

Luanna Toniolo, fundadora do brechó online Troc

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Sustentabilidade e moda

A indústria da moda é a segunda mais poluente do mundo  – atrás apenas do setor de petróleo. Por isso, Luanna explica que a sustentabilidade no setor não é apenas fruto de uma tomada de consciência, mas uma necessidade da produção. Mesmo o mercado de luxo vem aderindo ao segmento de revenda que, em 2019, cresceu 20 vezes mais do que o de vestuário em geral e deve dobrar de tamanho em relação ao fast fashion até 2030. Os dados vêm do relatório da empresa norte-americana ThredUp, de venda de roupas usadas.

Na feira de tendências NRF Retail’s Big Show, em 2020, a revenda de roupas foi apontada como uma das sete grandes tendências do ano. “As pessoas começaram a considerar como alternativa, seja por questão econômica ou de ideologia mesmo”, diz Luanna. A Troc recebe cerca de 30 mil peças mensais para revenda. A parceria também terá uma lojinha de itens de curadoria da diretora da Iorane. “A Iorane vai dar um conforto e uma confiança para o cliente e ajudar muita gente a começar a ter um consumo mais sustentável”, diz Carol. A Troc espera fechar parcerias semelhantes com mais de 80 marcas até o final deste ano.

Compartilhe esta publicação: