Minha jornada: "Me tornei VP da Havaianas em dois anos de empresa"

Mafê Albuquerque descobriu cedo o que mais gostava e fez uma carreira em marketing. Aos 40 anos, chegou a uma das principais empresas do país.

Fabiana Corrêa
Compartilhe esta publicação:
Divulgação

Mafê Albuquerque, vice-presidente de marketing da Havaianas, quer ajudar a formas lideranças femininas nas empresas

Acessibilidade


A partir desta quinta, quinzenalmente, traremos histórias de mulheres que trilharam uma carreira enriquecedora, não importa a profissão ou mercado, para inspirar outras mulheres a criarem sua própria história.

Em dezembro de 2021, Maria Fernanda Albuquerque estava de malas prontas para uma temporada de 5 meses em Paris quando recebeu uma ligação de Roberto Funari, CEO da Alpargatas, a quem se refere como Beto, que a fez mudar de planos. Aos 40 anos, Mafê havia sido escolhida para substituir sua chefe direta e se tornar vice-presidente global de marketing da principal marca do grupo, a Havaianas, que registrou receita líquida de R$ 3,9 bilhões em 2021. “Eu iria passar um tempo na França para mudar de ares e entender o mercado europeu, mas adiei a ideia pois entendi que deveria ficar perto da equipe nessa transição.”

Foi um bom motivo. Mafê avaliou que a proximidade física com a equipe faria diferença no passo mais importante em sua carreira até o momento. Em 2020, a executiva deixou a gigante de bebidas Ambev, onde trabalhou por quase 15 anos e chegou à diretoria de marketing, para assumir a diretoria global de comunicação na fabricante das sandálias. Dois anos depois, subia ao posto máximo em sua área na empresa. “A notícia me pegou de surpresa: não achei que fosse tão rápido”, diz ela, que é uma das três mulheres no C-Level da empresa, onde a representatividade feminina é de  30%.  Na média gerência, o percentual de funcionárias sobe para 49%.

Leia também: Cris Naumovs: “Quem disse que temos que ser humildes e sentar no cantinho?”

Cris, o marido, e Olívia, a filha de 7 anos, também foram surpreendidos pela mudança de planos. É que iriam todos para a França, aproveitar a onda do anywhere office (e do ensino remoto) que é tendência no mundo do trabalho. Mas sem grandes dramas. Fazer e desfazer malas é rotina para essa família. Em 2021, “moraram” em mais de 10 casas diferentes, alugadas via AirBnb, só para mudar um pouco de ambiente. “Eu escolhia as casas mais bacanas e diferentes que encontrava nos sites de aluguel de temporada e íamos passar um mês em cada uma”, conta Mafê.

Nos primeiros seis anos de casamento, antes da chegada de Olívia, o casal transformou as muitas viagens de férias em conteúdo para um perfil no Instagram com 70 mil seguidores (@offtravelguide), com belas fotos, dicas de hospedagem, restaurantes e paisagens incríveis registradas em diversas partes do mundo. “Eu amo fotografar, sou muito visual e isso me traz muita inspiração para a vida.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Hoje, sob sua gestão, são 220 pessoas, um quarto delas espalhadas pelo globo, o que a executiva considera uma das questões que mais exigem empenho. Mas também abre possibilidades de correr o globo, como Mafê sempre gostou. “Dividir diferenças culturais, engajar outros países e alinhar os pensamentos não é simples. Ainda mais à distância”, diz. Por isso, mês que vem ela vai, em nome da compreensão do mercado e da marca, fazer a planejada viagem à Paris. É trabalho, sim, mas como sempre Mafê vai achar um jeito de olhar pro horizonte e tirar algumas  fotos bem bacanas para atualizar seu Instagram.

Aqui, fizemos um resumo da carreira de Maria Fernanda Albuquerque, em suas próprias palavras, para inspirar outras mulheres que querem escrever sua própria história.

Meu primeiro cargo de liderança

“Meu primeiro cargo de liderança tem um gosto especial: foi retornando de licença-maternidade. Fui promovida a diretora de marketing de Antárctica, cargo que me deu muita projeção.”

Turning point da carreira

“A mudança de empresa foi um movimento muito importante. Depois de 12 anos na Ambev, empresa que foi a grande responsável pela minha formação como profissional, com a qual tenho um forte vínculo, assumi a comunicação global da minha marca favorita no mundo e, dois anos depois, estou aqui como CMO.”

Quem me ajudou

“O maior apoio que recebi veio do meu marido, especialmente depois do nascimento da Oli, nossa filhota. Cris me apoia, me inspira e divide comigo todas as tarefas de pais. Além dele, tive ajuda de mulheres incríveis. Chefes, pares, parceiras às quais sou muito grata por cada incentivo e feedback. E dois presidentes de empresas, o Beto e o Jean (Jereissati, CEO da Ambev) que foram aliados.”

O que ainda quero fazer…

“Quero ajudar a desenvolver mais lideranças femininas que sejam rede de apoio uma das outras, com mentoras e mentorandas, numa teia de trocas, onde todas ganham.”

Causas que abraço

“Juntei meu trabalho corporativo com uma maneira de fazer a diferença, como é o caso da parceria com a Gerando Falcões, que destinam 7% das vendas para projetos da Ong, e com a All Out, Ong global de direitos LGBTQIA+.”.

Minha formação

“Eu tive a sorte de descobrir minha grande paixão por marcas, marketing e comunicação logo cedo. Sou graduada em Marketing (ESPM) e em Propaganda (FAAP), com MBA na USP e muitos cursos aqui e no exterior para aprofundar as ferramentas de marketing.”

 

Leia também: Sucesso, carreira e filhos: essa executiva mostra um jeito feminino de conciliar tudo

 

Compartilhe esta publicação: