Copa do Mundo terá mulheres como árbitras pela primeira vez em 92 anos

Três árbitras e três assistentes - incluindo uma brasileira - foram selecionadas para apitar jogos no maior campeonato de futebol do mundo 

Redação
Compartilhe esta publicação:

A francesa Stéphanie Frappart, que vai arbitrar na Copa do Mundo, foi a primeira mulher a apitar uma partida masculina na Champions League

Acessibilidade


A Copa do Mundo do Catar neste ano será a primeira, em 92 anos de história, a ter mulheres apitando os jogos. A FIFA (Federação Internacional de Futebol) anunciou hoje (19) que três mulheres foram escolhidas para arbitrar no maior campeonato de futebol do mundo, além de outras três assistentes – entre elas, a brasileira Neuza Inês Back. 

Entre os 36 árbitros selecionados para estar no Catar no final deste ano estão a francesa Stéphanie Frappart, a ruandesa Salima Mukansanga e a japonesa Yoshimi Yamashita. Entre os homens, estão os brasileiros, Raphael Claus e Wilton Pereira Sampaio. 

Este mês, Stéphanie apitou a final da Copa masculina da França. Ela também arbitrou a final da Copa do Mundo feminina em 2019 e foi a primeira mulher a apitar uma partida masculina na Champions League, principal torneio de futebol europeu. 

A japonesa Yoshimi Yamashita também quebrou recordes; foi a primeira mulher a apitar uma partida masculina da Liga dos Campeões Asiática, a maior competição de futebol do continente.

Em janeiro deste ano, a ruandesa Salima Mukansanga se tornou a primeira árbitra mulher em um jogo da Taça das Nações Africanas de futebol. Ela também já apitou partidas femininas nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020, na Copa do Mundo de 2019, na França, na Copa Africana de Nações e na Liga dos Campeões da África. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Forbes abre inscrições para lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: