Pandemia acelera transformação digital na China, Black Friday, Neon & Muito Mais

Arte sobre foto/ Getty Images

TENDÊNCIAS GLOBAIS

Pandemia acelera transformação digital na China

A transformação digital foi acelerada drasticamente nas empresas da China, com mais da metade dos CEOs do gigante asiático (55%) reportando esta realidade. O dado é de uma pesquisa da consultoria KPMG, que sugere que 75% dos líderes chineses já começaram a explorar e usar tecnologias emergentes, 4% a mais do que os CEOs globais. Em relação a estas tecnologias, 77% dos chineses apontaram que darão prioridade para inteligência artificial e aprendizado de máquina contra 68% dos líderes globais. Quando o assunto é adoção de outras tecnologias fora do espectro emergente, como computação em nuvem, a abordagem será implementada por 70% dos chineses contra 65% dos globais.

Segundo o sócio-diretor líder da KPMG na China, Davi Wu, na área de saúde a tecnologia está crescendo rapidamente com a implantação de aplicativos, diagnóstico, farmácia e tratamento online. “O crescimento da demanda por produtos digitais e de serviços de distribuição acelerou a tendência de integração, colaboração e plataforma da cadeia de suprimentos de varejo”, diz o executivo.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

Velocidade 5G mais rápida do mundo atingida na Finlândia

A operadora finlandesa Elisa, juntamente com a Nokia e a Qualcomm Technologies anunciam que alcançaram as velocidades 5G mais rápidas do mundo em uma rede comercial na Finlândia, entregando 8 Gbps pela primeira vez servindo dois dispositivos 5G conectados simultaneamente. A demonstração foi feita na principal loja da Elisa, na capital finlandesa de Helsinque, e utilizou a tecnologia 5G mmWave da Nokia e os dispositivos de teste de fator de forma de smartphone 5G da Qualcomm sobre a rede comercial 5G de Elisa. Segundo as empresas, a novidade, que deve ser implementada em 2021, vai apoiar novos serviços de baixa latência e alta largura de banda, como downloads de vídeo de alta velocidade, missões críticas ou realidade virtual e aplicativos de realidade aumentada.

****
TENDÊNCIAS NACIONAIS

Empresas que se digitalizaram na pandemia lucram mais

Mais de 70 mil comércios que atuavam apenas no mundo físico no mesmo período de 2019 começaram a atuar online como resultado da pandemia. E eles tem lucrado mais, com um aumento de tíquete médio por transação em 17% ao migrar para o e-commerce. Os dados são de um novo estudo da Visa Consulting & Analytics.

O estado de São Paulo, que representa 31% do total de negócios estudados, registrou um crescimento de 27% no número de negócios dos ambientes físico e online, quando comparados os meses de abril a junho de 2020 com o ano anterior. A pesquisa também nota um crescimento expressivo do tíquete médio em certos estados brasileiros em que a digitalização foi mais acelerada: Roraima (145%), Tocantins (113%) e Rondônia (84%). Um outro estudo, da comunidade de compras Cashback World, trouxe um cenário que detalha as categorias mais procuradas quando consumidores compram online: para a plataforma, o maior volume transacional foi em Computadores & Software (130%), Eletrônicos (125%) e Roupas & Acessórios (103%). Por outro lado, as categorias que apresentaram as maiores quedas foram: Equipamentos Médicos (-80%), Livros & Músicas (-69%) e Roupas & Brinquedos Infantis (-57%).

Getty Images

Plataforma revela os itens mais desejados na Black Friday

A Stilingue, plataforma de monitoramento e interação com consumidores desenvolvida para o português do Brasil capaz de resumir e organizar, em um só lugar, conversas online sobre marcas, assuntos e mercados, fez um levantamento para entender os objetos de desejo dos consumidores para a Black Friday de 2020. A pesquisa concluiu que, nos últimos 30 dias, houve um aumento de 273% no volume de publicações sobre uma das datas mais esperadas pelo comércio nacional e 243% no número de usuários que começaram a falar sobre o tema.

Esses números demonstram a relevância da pauta em novembro, onde 52% das publicações foram realizadas nos 10 primeiros dias do mês. Em relação ao mesmo período do ano passado, a data que abre portas para as compras de fim de ano cresceu em 52,7%. Outro número importante é o de usuários envolvidos nesse assunto, que também cresceu 65,3% em relação a 2019, o que pode ser um reflexo da digitalização forçada pela pandemia (tanto dos usuários quanto das marcas).

Nesta fase, faltando apenas alguns dias para os melhores descontos, os usuários aproveitam as ofertas do esquenta para compartilharem suas intenções de compra e seus focos de pesquisa para o dia oficial. As indústrias que se destacaram nestes dias são:

Telefonia
O termo “celular novo” foi usado em 5,53% das publicações. Os aparelhos mais citados são iPhone (Apple) e Galaxy (Samsung), mas também há destaque para os acessórios, como fones e carregadores. Apesar da alta procura por esses itens, os recentes lançamentos da Apple aqueceram a discussão e usuários buscam conselhos para entender se a compra vale ou não a pena. A loja mais relacionada à essa intenção de compra é Magazine Luiza.

Eletrônicos
“Kindle” (9,8%) e “notebook” (7,8%) são os queridinhos dos consumidores nesse segmento. As lojas mais relacionadas à essa intenção de compra são Amazon e Magazine Luiza.

Moda (vestuário)
Usuários pretendem usar a data para renovar seus “tênis” (8,3%) e “roupas” (5,9%), com a intenção de aproveitar a data para comprar peças para o Natal e Ano Novo. Não há lojas em destaque nesse segmento.

Livros
Eles foram citados em 1,3% das publicações totais sobre Black Friday. As lojas mais relacionadas à essa intenção de compra são Amazon, Submarino e Americanas.

Pagamento de metrô e ônibus com cartão é mais comum nas classes AB

Pesquisa do C6 Bank/Ibope revelou que a maior parte – 85% – da população nunca usou o novo serviço de pagamento de ônibus e metrô com cartão de débito ou crédito, disponível em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. A pesquisa ouviu 442 paulistanos e cariocas das classes A, B e C com acesso à internet entre os dias 20 e 27 de outubro. O uso do serviço é maior entre os mais jovens (16 a 34 anos) e entre as pessoas das classes mais A/B. Cerca de 40% afirmam que não usam o serviço principalmente porque ele ainda não está disponível em todas as linhas de ônibus e metrô da cidade. Entre os entrevistados, 19% afirmaram que nunca ouviram falar desse serviço.

Squid lança estudo que analisa comportamento no Stories do Instagram

A empresa de marketing de influência Squid acaba de lançar “A Nova Hora do Rush dos Stories”, que busca metrificar os stories produzidos pelos influenciadores no Instagram. Para a análise, a startup analisou os conteúdos de 4 mil influenciadores cadastrados em sua base e mais de 400 mil posts, entre outubro de 2019 até junho de 2020. Foram quase 1.700 horas de material produzido, o que representa 70 dias de publicações ininterruptas. Esse volume atingiu mais de 480 milhões de impressões.

O levantamento demonstrou que o formato predileto do público são as postagens em vídeo, com cerca de 54% do volume de conteúdos postados na rede e o maior engajamento: 72% quando comparado com fotos. “O conteúdo postado no feed, em geral, tem um maior trabalho estético, seja na aplicação de filtros, construção de legendas e aplicação de hashtags. Já os stories são um formato que privilegia o real time, são mais espontâneos e muito explorados pelos creators. Sob a perspectiva dos anunciantes que desejam trabalhar com esse formato, os conteúdos em stories, trazem uma potência perfeita ao trazer o olhar dos influenciadores em um contexto ainda mais real e autêntico sobre seus produtos e serviços”, explica Isabela Ventura, CEO da Squid.

O dia em que ocorrem mais postagens nesse formato é sexta-feira. Isso representa quase 16% do total. Já a terça-feira, entre 21h e 0h, é quando ocorre o maior volume de impressões – é a Golden Hour dos Stories. O estudo também traça o perfil do influenciador que mais posta stories no Instagram. Em média, é mulher, entre 25 e 34 anos e da categoria lifestyle.

****
O QUE MAIS ESTÁ ACONTECENDO NO ECOSSISTEMA

Neon anuncia aquisição da ConsigaMais+

Com foco na geração de créditos com taxas mais baixas e sem burocracias, a aquisição da fintech de crédito consignado ConsigaMais+ faz com que a Neon ingresse em um novo segmento e conquiste novos clientes. A transação, que ainda depende da aprovação do Banco Central, também envolve troca de ações – os sócios da ConsigaMais+ passam a ser executivos e sócios da Neon e toda a estrutura e os funcionários da fintech de crédito consignado serão incorporados ao grupo. “Por meio dessa aquisição, ganhamos um novo produto, um time excelente e mais know-how sobre o mercado de crédito”, diz Rafael Matos, head de M&A e novos negócios da Neon.

VEJA TAMBÉM: Neon recebe novo aporte de US$ 300 mi liderado por General Atlantic

Telefónica lança a Wayra X

A Telefónica anunciou duas iniciativas que complementam sua estratégia de inovação para se abrir ainda mais para o ecossistema de empreendedorismo. Uma delas é a Wayra X, o primeiro hub 100% digital da Wayra projetado para investir globalmente em startups 100% digitais. Elas devem ter foco de trabalho remoto e desenvolvimento de um produto digital de consumo massivo que pode atingir milhões de usuários, independentemente da área geográfica. Já a Wayra Builder tem o objetivo de desenvolver empresas cujo foco é capitalizar o talento e a tecnologia internos da Telefónica para criar startups inovadoras em parceria com investidores externos. “Queremos que este ecossistema colaborativo continue crescendo, razão pela qual lançamos estas duas iniciativas de grande valor estratégico para a Telefónica e seus clientes”, explica Irene Gómez, diretora da área Connected Open Innovation da companhia.

LEIA MAIS: Hub de inovação da Vivo completa oito anos no país com mais de 70 startups investidas

Divulgação
Divulgação

Da esquerda para a direita: Gregório Rados, João Espíndola, Ricardo Olivieri e Filipe Fortes

InComm Payments adquire Todo Cartões

A InComm Payments, especializada em tecnologia de pagamentos, anunciou a aquisição da Todo Cartões, startup que opera com cartões-presente dos maiores varejistas do país, como Riachuelo, Centauro, Outback, RiHappy, Arezzo e Havaianas. Com a compra, empresas que adotam o recurso terão acesso a uma solução completa, com uma tecnologia de ponta, para agregar toda sua operação de pagamentos. Para Ricardo Olivieri, country manager da InComm Payments Brasil, o movimento está em acordo com o propósito da empresa de ajudar outras organizações a crescerem com uma ampla gama de serviços digitais. “A Todo Cartões tem como clientes os maiores varejistas do Brasil e possui uma tecnologia proprietária de alta qualidade. Além disso, a startup possui um time super capacitado que, somado ao time da InComm, tem tudo para gerar mais inovação e resultados para os varejistas brasileiros.”

Getty Images

Empresa de drones XMobots anuncia nova fábrica em Itajubá

Com planos para início das operações em julho de 2021, a XMobots anunciou uma planta industrial, instalada em uma área de 11 mil quadrados em Itajubá, Minas Gerais, como a primeira fábrica brasileira e latino-americana com foco em produção de drones em série. A abertura de uma filial no estado mineiro foi um dos requisitos do aporte de R$ 30 milhões feito pela gestora de fundos de investimento Confrapar em parceria com a XMobots. O CEO da empresa de drones, Giovani Amianti, explica que a fábrica de Itajubá não fará o mesmo serviço da planta de São Carlos, que fica no interior paulista e se concentra na área de Pesquisa e Desenvolvimento e manutenção dos aparelhos. O novo projeto terá como foco a produção de modelos Dractor 25A e novos drones que serão lançados em curto e médio prazos.

Brasil possui 181 startups voltadas para soluções de blockchain e criptomoedas

O grande potencial do mercado de criptomoedas e blockchain atrai cada vez mais investidores interessados. Desde 2015, em nível global, foram investidos US$ 8,9 bilhões no setor. Embora o Brasil tenha entrado de forma tímida nessa jogada, os últimos dados mostram que as startups nacionais finalmente decidiram se entregar para a tecnologia. Somente nos dez primeiros meses de 2020, o montante brasileiro investido no setor foi de US$ 1,6 milhão. O volume é 62% maior do que o registrado em 2019, que somou US$ 639 mil. É nesse cenário que, segundo o Distrito Blockchain e Criptomoedas Report, levantamento realizado pelo Distrito Dataminer, 181 startups se destacam pelo seu trabalho com a tecnologia, seja ele no campo de serviços financeiros, segurança digital, gestão e rastreio de ativos, marketing e mídias sociais ou Blockchain-as-a-service.

Kinvo lança acompanhamento da B3 ao vivo no app

O aplicativo Kinvo, que consolida investimentos de bancos e corretoras em um só lugar, traz mais uma funcionalidade para guiar o investidor na tomada de decisão. Antes disponível apenas pelo Kinvo Web, o acompanhamento das oscilações dos ativos de renda variável, ao vivo, da B3, agora já pode ser realizado pelo aplicativo. Com a novidade, os usuários conseguem avaliar o impacto dos produtos que fazem parte ou não de sua carteira, permitindo analisar a possibilidade de uma futura aplicação. Para simplificar ainda mais, o app divide a tela em duas áreas: Minhas Posições e Monitoramento de Ativos. Na primeira, é possível acompanhar o efeito das oscilações de curto prazo do mercado nos ativos de renda variável dentro da carteira do usuário. Já a segunda permite o acompanhamento das cotações de ativos que ainda não estão na carteira do investidor, mas que talvez possam interessar, deixando-o por dentro das variáveis.

Agtech anuncia primeiro marketplace corporativo para o mercado agro

A Agrotools, especializada em soluções digitais voltadas ao agronegócio, anunciou a chegada do primeiro marketplace tecnológico para o mercado corporativo agro. “É a democratização do segmento, preenchendo uma lacuna tecnológica que vai contribuir para ampliar as relações entre bancos, seguradoras, indústrias de insumos, compradores dos produtos agropecuários e toda cadeia de negociação do segmento”, anuncia o fundador e CEO da empresa Sergio Rocha. Por meio dessa plataforma, as empresas vão poder comprar desde soluções robustas até ferramentas individuais – modulares – como também APIs desenvolvidas pela companhia em mais de uma década de atividades. Entre os recursos disponíveis estão análises de lavouras, do clima e do território, entre outras funcionalidades. Neste primeiro momento, a solução será usada por um grupo seleto de clientes da Agrotools antes de ser expandida.

Getty Images

Legislação sobre home office ainda é dúvida para maioria das empresas

Embora o tema seja bastante explorado e já tenham se passado alguns meses desde o início da pandemia, as regras para implementação do home office são as principais dúvidas para as empresas, segundo o escritório Souto Correa Advogados. De acordo com o levantamento realizado por meio do seu chatbot, só no mês de outubro regras gerais para adoção do home office na pandemia (34,51%), jornada de trabalho (16,3%) e equipamentos e custos do home office (13,04%) foram os tópicos mais buscados. Além do home office, também foram consultadas questões sobre redução de jornada e suspensão de contrato de trabalho (15,55%); saúde dos trabalhadores e medidas preventivas da Covid-19 no ambiente de trabalho (10%); trabalhadores estrangeiros no Brasil (7,2%) e compensação de jornada (4,86%).

Dinheiro vivo (ainda) importa

Ao completar um ano de parceria com o Banco24Horas, da Tecban, a Redecompras, empresa de tecnologia para o segmento de meios de pagamentos eletrônicos do país, corrobora a tese de que o dinheiro em papel ainda é considerado fundamental para uma parcela significativa da população, mesmo para quem é cliente de contas digitais. A empresa integrou 13 fintechs à rede de caixas eletrônicos, que totalizaram mais de 800 mil transações neste período. Eucard, Pague Veloz e Personal Card estão entre as fintechs que já disponibilizam aos seus clientes os benefícios como acesso ao dinheiro físico, demanda crescente durante a pandemia. As startups oferecem aos seus clientes saque por cartão e saque digital (via QR Code e/ou token), além de emissão de extratos e saldo nos terminais de autoatendimento. A companhia planeja ampliar seu portfólio de produtos financeiros para chegar à marca de 100 clientes e 800 mil lojistas até o final de 2020 – atualmente, os seus serviços abrangem mais de 70 clientes e 500 mil estabelecimentos comerciais.

Accenture anuncia intenção de adquirir a End-to-End Analytics

A Accenture anunciou a intenção de adquirir a End-to-End Analytics, uma boutique de consultoria em análise e ciência de dados com sede em Palo Alto, na Califórnia, e escritórios adicionais no Brasil. A empresa tem uma herança profunda em alta tecnologia, varejo, indústria, automotivo e bens de consumo, apoiada por sólido portfólio de ativos e aceleradores em áreas da cadeia de suprimentos, prognóstico, promoção comercial, preços, marketing e análises de clientes. A End-to-End integrará à prática da Applied Intelligence da Accenture e irá aprimorar a forma como a companhia atende clientes em todo o mundo, especialmente nas Américas.

****
INVESTIMENTOS

Nuvemshop investe R$ 1 milhão para se preparar para a Black Friday

A plataforma de e-commerce Nuvemshop investiu R$ 1 milhão para aprimorar sua infraestrutura online e garantir o seu funcionamento durante a Black Friday. “Estamos vivendo a primeira Black Friday 4.0 do Brasil: muito mais conectada e inclusiva do que todas as outras edições anteriores no país. Por isso, esperamos um fluxo de acessos cinco vezes maior do que no passado”, afirma Alejandro Vázquez (foto), CCO e cofundador da Nuvemshop. “A penetração online no varejo dobrou de 6% a 12% entre março e outubro e a Black Friday deve consolidar esta tendência e estabelecer novos paradigmas para o e-commerce no país.” Para garantir esse alto fluxo, a Nuvemshop diz que aprimorou toda a sua plataforma, ampliou o seu ecossistema com parceiros estratégicos, expandiu o time de tecnologia e suporte e vem realizando diversos testes durante 24 horas por dia. O objetivo é simular antecipadamente como será a Black Friday e deixar a plataforma 100% preparada para atender as 65 mil lojas de seu ecossistema.

****
CRESCIMENTO

Nanox cresce 300% no último trimestre

A preservação de objetos e de todos os tipos de materiais em tempos de coronavírus levou a Nanox, empresa brasileira de nanotecnologia, a um aumento de mais de 300% em seu faturamento no último trimestre, chegando a cerca de R$ 5 milhões. Com a ascensão, a companhia também pretende triplicar a atuação de mercado, além de ampliar e renovar seu parque fabril, localizado em São Carlos, no interior de São Paulo. O crescimento é atribuído à tecnologia de um composto químico com micropartícula de prata, feito através de nanotecnologia e aprovado junto ao Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), capaz de inativar o novo coronavírus em diversos materiais como tecidos, plásticos e madeira MDF. O cofundador e diretor da empresa, Gustavo Simões, afirma que pretende expandir o mercado de atuação internacionalmente. “Desde 2009 exportamos para os Estados Unidos e, em 2016, iniciamos uma empresa no país. Agora queremos chegar à Europa e Ásia e intensificar os negócios em 2021.” Para viabilizar a empreitada, o executivo pretende fazer captação de recursos com rodadas de investimento – cerca de US$ 5 milhões.

Agrointeli registra crescimento de 500% na pandemia

Focada em prover a integração de diversas fontes de dados em uma plataforma fácil de usar, a startup Agrointeli consolida, organiza, analisa e interconecta dados essenciais para a gestão do agrobusiness. Para isso, concilia imagens aéreas, sensores, dados de máquinas, previsões meteorológicas, modelos agronômicos e atividades de dados em campo, gerando recomendações para a tomada de decisões ao pequeno e médio agricultor. “Durante a pandemia, o ecossistema tem sentido os impactos das nossas soluções, o que nos levou a registrar um crescimento de 500% no período. Agora, nossos planos são expandir para a América do Sul”, conta Renato Borges, CEO da Agrointeli, que já opera no Chile. “Nossa demanda está crescendo no Brasil, mas também estamos percebendo que há oportunidades nos países do continente, como Paraguai e Bolívia. E há produtores brasileiros empreendendo por lá, mas poucas soluções tecnológicas para atendê-los. Como nossa tecnologia é escalável, mapeamos a região e estamos levando nosso monitoramento para esses países”, analisa.

****
TECNOLOGIA DO BEM

Tembici e CUFA se unem para oferecer viagens de bicicleta gratuitas

Para fomentar cada vez mais o uso das bikes, a Tembici, especializada em micromobilidade, em parceria com a CUFA PE, Central Única das Favelas de Pernambuco, criou o “Doe 1 Viagem”, uma corrente do bem que convida os usuários do Bike Itaú a doarem uma viagem para pessoas em situação de vulnerabilidade social. A cada quatro viagens doadas pelos usuários, a empresa complementará a doação e a reverterá em um plano mensal, que poderá ser utilizado gratuitamente pelos beneficiários da instituição. “Facilitar o acesso às nossas bikes é uma forma de contribuir com o que realmente acreditamos. Começamos o piloto em Pernambuco, mas enxergamos potencial para que ele seja estendido para todas as demais praças do Bike Itaú”, diz Carolina Rivas, diretora de relacionamento da Tembici. “Parte da população, que já era bastante vulnerável, foi muito impactada pela crise gerada pela pandemia, por isso, nesse ‘novo normal’, nossa proposta é qualificar e empoderar a população que vive em situação de pobreza. Estamos entusiasmados com o projeto e esperamos ajudar àqueles que muitas vezes não tem dinheiro para utilizar um meio de transporte”, diz Altamiza Melo, coordenadora da CUFA Pernambuco. As doações poderão ser realizadas de duas formas: acesso à página do projeto ou por meio de uma mensagem que os usuários receberão pelo aplicativo do Bike Itaú. O valor da viagem doada é de R$ 3,40.

****
IMPACTO SOCIAL

Governo do Piauí distribuirá mais de 140 mil chips com internet a estudantes

O Governo do Estado do Piauí, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), distribuirá mais de 140 mil chips aos estudantes da rede pública estadual. A ação tem o objetivo de garantir que os alunos matriculados na rede estadual de ensino tenham acesso à internet diante do cenário de pandemia e de aulas remotas. Os chips da Claro possuem tecnologia 4G e pacote de dados de 20 giga mensal para que os estudantes tenham acesso aos conteúdos educacionais disponibilizados pela Seduc em plataformas digitais de videoaulas. Já a Embratel fornecerá uma solução inovadora que facilitará a gestão de dados e a comunicação entre professores e estudantes. Por meio da solução, a Secretaria poderá estipular regras de uso das linhas móveis; determinar os sites e aplicativos que poderão ser acessados, com análise de consumo; bloquear ou desbloquear o compartilhamento de hotspot nos dispositivos e vincular o chip com um determinado aparelho para que ele não funcione em outro celular, por exemplo. Isso possibilita monitorar o consumo de forma mais assertiva, assegurando o uso de dados de maneira eficiente e disponibilidade de conectividade durante todo o ano letivo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).