App de mensagens Signal vê crescimento meteórico em instalações

Thomas Trustchel/Getty Images
Thomas Trustchel/Getty Images

Criado em 2014, o aplicativo Signal torna-se um dos concorrentes do WhatsApp

O número de novos usuários que instalam o aplicativo de mensagens Signal todos os dias está a caminho de ultrapassar 1 milhão, colocando-o mais perto dos níveis vistos pelo WhatsApp, que anunciou recentemente uma atualização dos termos de privacidade.

Cerca de 810 mil usuários instalaram globalmente o Signal ontem (10), quase 18 vezes mais em comparação com os números de downloads em 6 de janeiro, dia em que o WhatsApp atualizou seus termos de privacidade, de acordo com dados da empresa de pesquisa de mercado Apptopia.

LEIA TAMBÉM: Ford vai encerrar operações no Brasil

Os novos termos de privacidade do WhatsApp reservam o direito de compartilhar dados do usuário, incluindo localização e número de telefone, com o controlador, Facebook, e unidades da rede social como Instagram e Messenger. Os defensores da privacidade questionaram a mudança, citando o histórico do Facebook em lidar com dados de usuários, com muitos sugerindo migração para plataformas como Telegram e Signal.

Para lidar com o número de novos usuários, a companhia disse no domingo que adicionou mais servidores para lidar com o tráfego. Até recentemente, o aplicativo sem fins lucrativos era amplamente usado por jornalistas e ativistas de direitos humanos em busca de um modo de comunicação mais seguro e criptografado.

O WhatsApp, que teve uma queda de 7% nas instalações diárias no domingo em comparação com a quarta-feira (6), foi baixado por quase 1,2 milhão de usuários em 10 de janeiro, de acordo com a Apptopia. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).