Com foco no digital, Marisa quer ser a plataforma da mulher conectada

Divulgação
Divulgação

A captação de R$ 515 milhões, em um follow on no final de 2019, ajudou a Marisa a passar com mais calma pelo turbulento 2020

O fechamento do comércio, em março de 2020, por conta da pandemia de Covid-19, impactou o setor varejista de inúmeras formas. Na rede nacional de moda feminina Marisa a situação não foi diferente. Com as 345 lojas de rua e de shoppings fechadas, a solução foi recorrer a sua plataforma online de vendas, assim como à criação de diversos canais digitais para atender os clientes da marca.

Em entrevista à Forbes, o CEO da Marisa, Marcelo Pimentel, disse que os impactos da pandemia não puderam ser evitados, mas foram menores por conta de um follow on bem-sucedido no final de 2019. “Captamos mais de R$ 515 milhões com a nova oferta de ações naquele momento”, diz. “Não sabíamos o que viria depois, mas estávamos com o caixa robusto e preparado para atravessar o momento.”

SAIBA MAIS: Marisa Lojas anuncia oferta primária de 61,5 mi de ações

O impacto na receita líquida foi nítido. Embora 2019 tenha sido um ano positivo, em que a marca, depois de seis anos, conseguiu ter os quatro trimestres fiscais com crescimento de vendas, os três balanços de 2020 divulgados mostraram uma queda no faturamento, principalmente no segmento do varejo. Nos últimos três meses de 2019, a receita líquida foi de R$ 899 milhões, enquanto entre os meses de maio e junho do ano passado, os mais impactados pela pandemia, caiu para R$ 282 milhões.

Para contra-atacar a situação apresentada, Pimentel conta que a marca focou em intensificar o seu processo de transformação digital. No ano passado, a Marisa lançou diversas iniciativas voltadas ao estímulo do comércio eletrônico, como, por exemplo, o lançamento de seu próprio aplicativo em agosto, que já possui 4,3 milhões de downloads e representa 35% das vendas online da empresa.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

A varejista também investiu no Whatsapp como canal de venda, desenvolveu live shops e fechou parcerias com plataformas de cupons. “A nossa cliente é uma só. Ela é multicanal e não separa as compras entre loja física e digital”, afirma o executivo. “A nossa ambição é ser a plataforma da mulher brasileira, oferecendo produtos e serviços pelos mais variados canais.” Com essa visão, a Marisa conseguiu fechar o ano com o digital representando 13,8% das vendas totais da marca, um aumento de 11,8% em comparação a 2017.

Com foco em estimular mais a sua transformação digital, a Marisa fechou, no início deste mês, uma parceria com o hub de inovação aberta Distrito para criar um programa voltado para as fashiontechs, startups do setor de moda. A proposta da iniciativa é conectar empresas que enfrentam os mesmos desafios no segmento e proporcionar colaborações e parcerias.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).