Divisão de robótica de empresa adquirida pela Uber se separa em nova empresa

Matthew Horwood/Getty Images
Matthew Horwood/Getty Images

Uber comprou a Postmates em 2020 em um negócio de US$ 2,65 bilhões todo em ações

A unidade de robótica da Postmates, uma startup de entrega de encomendas comprada pela Uber Technologies no ano passado, se transformou em uma nova empresa chamada Serve Robotics, disse a companhia hoje (2).

A Serve disse em um comunicado à imprensa que fechou sua primeira rodada de financiamento, liderada pela firma de capital de risco Neo, e auxiliada por Uber, Long Journey Ventures, os cofundadores da Postmates, Bastian Lehmann e Sean Plaice; bem como outros investidores.

LEIA MAIS: Fintech Klarna capta US$ 31 bilhões e faz dois novos bilionários

“Enquanto os carros autônomos removem o motorista, a entrega robótica elimina o próprio carro e torna as entregas sustentáveis e acessíveis a todos”, disse Ali Kashani, cofundador e presidente da Serve Robotics.

A unidade, Postmates X, lançou um robô semi autônomo, o Serve, em 2018 para atuar em entregas mais rápidas. Atualmente, o Serve opera comercialmente em Los Angeles e São Francisco e foi popular durante a pandemia Covid-19 ao permitir a entrega de mercadorias sem contato físico.

A Uber comprou a Postmates em julho de 2020 em um negócio de US$ 2,65 bilhões todo em ações com o objetivo de expandir sua participação no mercado de entrega de alimentos em um momento em que a pandemia atingiu o mercado de transporte urbano por aplicativo, seu principal negócio. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).