EXCLUSIVO: Fintechs brasileiras recebem US$ 500 milhões em janeiro e fevereiro de 2021

Relatório do Distrito Dataminer mostra que valor corresponde a 25% do total investido no setor durante o ano passado

Matheus Riga
Compartilhe esta publicação:
Unsplash
Unsplash

As fintechs brasileiras receberam US$ 500 milhões no primeiro bimestre de 2021, segundo relatório do Distrito Dataminer

Acessibilidade


As fintechs brasileiras, startups que oferecem soluções tecnológicas para o setor financeiro, receberam US$ 500 milhões em investimentos nos primeiros dois meses deste ano. O valor foi contabilizado pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência de dados do hub de inovação aberta Distrito, em seu relatório mensal “Inside Fintech Report”, que analisa esse segmento do mercado.

O montante empenhado no bimestre já corresponde a 25% do total investido nas fintechs ao longo de 2020. “Esse alto volume não só é um marco, como também um claro indicador da disputa acirrada e do amadurecimento que acompanhamos nesse mercado”, diz Tiago Ávila, líder do braço de inteligência de dados. “À medida que as fintechs se consolidam, temos visto mais rodadas volumosas de investimentos.”

SAIBA MAIS: Ecossistema de inovação tem apenas 4,7% de startups fundadas por mulheres

Divulgação
Divulgação

Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer, braço de inteligência de dados do hub de inovação aberta Distrito


No relatório, há um destaque para dois aportes que foram realizados neste mês. O primeiro deles é uma rodada série C liderada pelos fundos estrangeiros Fuel Venture Capital e TheVentureCity Capital, no valor de US$ 70 milhões, na startup RecargaPay. Já o segundo destaque ficou por conta dos US$ 18,5 milhões do Banco BV na fintech de soluções de crédito Trademaster.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo o levantamento, até agora já foram realizados 11 investimentos em fintechs. O maior deles foi uma série G no banco digital Nubank, em uma rodada liderada pelos fundos GIC, Invesco e Whale Rock Capital Management, no valor de US$ 400 milhões. Outras fintechs também estão contempladas no relatório, como é o caso da bxblue, Credere e Mercado Bitcoin.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: