LinkedIn diz que alguns dados de usuários foram extraídos e colocados à venda

Plataforma afirmou que dados de contas privadas não foram retirados e aqueles à venda são uma coleção oriunda de vários sites e empresas

Redação
Compartilhe esta publicação:
Thomas Trutschel/Getty Images
Thomas Trutschel/Getty Images

Segundo LinkedIn, os dados de contas privadas não foram retirados e aqueles à venda são uma coleção oriunda de vários sites e empresas

Acessibilidade


Alguns dados do LinkedIn, incluindo perfis de membros abertos ao público, foram extraídos da plataforma e colocados à venda, disse o site de relacionamento profissional da Microsoft com base em uma investigação.

O incidente não foi uma violação de dados e informações de contas privadas da plataforma não estavam incluídas, afirmou o LinkedIn em seu blog ontem (8), acrescentando que os dados à venda são uma coleção de informações sobre vários sites e empresas.

LEIA TAMBÉM: Tudo que você precisa saber sobre o 5G

O LinkedIn se recusou a fornecer mais detalhes sobre o incidente, incluindo o número de usuários afetados.

A CyberNews relatou, na última terça-feira (6), que um arquivo de dados extraído de 500 milhões de perfis do LinkedIn foi colocado à venda em um popular fórum de hackers. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: