6 executivos C-Level revelam seus aplicativos preferidos

filadendron/Getty Images
filadendron/Getty Images

É difícil encontrar quem ainda não tenha se rendido às plataformas digitais, independentemente do nível hierárquico

A pandemia de Covid-19 tornou nossos hábitos ainda mais digitais. Afinal, a tecnologia entrou como aliada na adaptação de estudos, dinâmicas de trabalho, lazer e relacionamentos. Nesse contexto, o mundo vivenciou um aumento significativo no consumo de aplicativos que facilitam e otimizam tarefas do cotidiano.

No cenário mundial, o tempo mensal gasto em aplicativos móveis cresceu 40% ano a ano no segundo trimestre de 2020, atingindo um recorde de mais de 200 bilhões de horas em abril, segundo a App Annie, plataforma de análise do mercado mobile. O levantamento mostrou que o Google Play e a Apple Store registraram, respectivamente, 25 bilhões e 10 bilhões de novos downloads no segundo trimestre do ano passado, o que representa um salto de 10% e 20%, respectivamente, ano a ano.

LEIA MAIS:  4 aplicativos para acompanhar o mercado financeiro

Em menos de seis meses atuando no “novo normal”, o Zoom alcançou a vice-liderança no ranking da App Annie dos apps mais baixados globalmente no segundo trimestre de 2020, atrás apenas do Tik Tok. No Google Play, as categorias de negócios, saúde & fitness e educação tiveram um crescimento de downloads de 115%, 75% e 50%, respectivamente. No iOS, os números de downloads de apps de saúde e condicionamento físico, compras e médicos saltaram para 30%, 25% e 20% no período. Os dados refletem uma forte demanda por soluções que aumentam a conectividade, a colaboração empresarial e a simplificação das atividades.

Dada a relevância destes recursos para aumentar a produtividade e a organização no dia a dia, é difícil encontrar quem ainda não tenha se rendido a eles, independentemente do nível hierárquico. 

Veja, na galeria abaixo, os aplicativos mais usados por seis CEOs brasileiros:

  • Antonio Setin, fundador e CEO da Setin Incorporadora

    Aplicativos mais usados: Empiricus, WhatsApp, Waze, Uber e Deezer

    Com o intuito de acompanhar o mercado financeiro, principalmente os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário), Setin utiliza o Empiricus Investimentos. Direcionada para pessoas físicas, a plataforma reúne cursos gratuitos sobre ações, renda fixa, criptomoedas, fundos imobiliários e de investimentos. Com ela, o executivo pode acompanhar diariamente as cotações de ações e outros ativos negociados na Bolsa de Valores, ler notícias sobre o mercado nacional e internacional e, ainda, receber sugestões para multiplicar seu patrimônio.

    Para tornar sua rotina mais prática e ágil, o executivo também aposta nos clássicos. Fundado em 2009 e adquirido pelo Facebook em 2014, o WhatsApp possui cerca de 2 bilhões de usuários ativos em mais de 180 países, segundo dados da própria ferramenta. A plataforma permite o compartilhamento de arquivos de texto, foto, vídeo, documentos e localização, além das chamadas de voz e vídeo. Recentemente, o WhatsApp deu o próximo passo no âmbito das inovações tecnológicas,e relançou os serviços de transferência de dinheiro entre indivíduos de todo o Brasil.

    LEIA MAIS: WhatsApp relança transferência de dinheiro no Brasil

    A lista dos apps mais usados por Setin também inclui o streaming de música Deezer e as plataformas de mobilidade urbana Uber e Waze – a primeira conecta usuários a motoristas parceiros, enquanto a segunda oferece instruções de trajetos, mapas de trânsito ao vivo e alertas de acidentes.

    Divulgação
  • Fabio Barone, head da área de saúde animal da Boehringer Ingelheim

    Aplicativos mais usados: 1Password e JustWatch

    O 1Password é uma maneira fácil e segura de criar, armazenar e utilizar senhas fortes. O aplicativo nasceu com a premissa de ajudar os usuários a gerenciarem todas as chaves de proteção de contas corporativas, redes sociais e dados da família. Na plataforma, é possível reunir, em um só lugar, os números do cartão de crédito, carteira de identidade, contas bancárias, logins e senhas e outros documentos para que o usuário os tenha sempre à mão.

    Para empresas, o 1Password Business oferece controle completo de senhas e outras informações comerciais sigilosas, garantindo um sistema de criptografia autenticada e à prova de violação, compartilhamento seguro de cofres e implantação e provisionamento fácil de SCIM (sistema para gerenciamento de identidade entre domínios, da sigla em inglês). As companhias recebem, ainda, relatórios personalizados para identificar possíveis ameaças, conferir se os endereços ou credenciais foram expostos em vazamentos de dados e criar alertas quanto a vulnerabilidades, com avisos de quando é preciso atualizar a senha de um serviço.

    Segundo dados do próprio aplicativo, milhões de clientes e mais de 80 mil empresas confiam na 1Password para proteger suas informações, incluindo IBM, Slack, PagerDuty, e GitLab. O aplicativo está disponível para browser, iOS e Android, com os planos mensais business (US$ 7,99 por usuário), families (US$ 40,99 para grupos de cinco pessoas) e teams (US$ 3,99 por usuário).

    “Também uso o JustWatch para relaxar. Gosto de ver filmes e este app sugere algumas produções e mostra em qual plataforma estão disponíveis”, afirma Barone. O serviço funciona como um guia de busca para filmes e séries online, onde o usuário pode selecionar a qual programa deseja assistir e verificar instantaneamente em quais das principais plataformas de streaming ele está disponível.

    Divulgação/Julio Vilela
  • Federico Grosso, general manager da Adobe para América Latina

    Aplicativos mais usados 12 mins, Meditopia, MasterClass, Brilliant, TIDAL e Kovver

    “Inseri o uso destes aplicativos na minha rotina porque me ajudam a manter hábitos importantes para exercer uma boa liderança”, afirma Federico Grosso, da Adobe. O primeiro deles, 12 min, é uma plataforma de áudio ou texto que resume os conceitos e as ideias mais importantes de livros sobre carreira, negócios e desenvolvimento pessoal em apenas 12 minutos. A vantagem é que o usuário consegue absorver toneladas de conhecimento de forma rápida, dinâmica e sintetizada, para estar sempre atualizado.

    Para ajudar no bem-estar, concentração e hobbies, Grosso utiliza o Meditopia. O aplicativo oferece opções de meditação para desestressar e melhorar a qualidade do sono, abordando relacionamentos, expectativas, aceitação, solidão, imagem corporal, sexualidade, propósito de vida e sentimentos de inadequação.

    O executivo utiliza também o MasterClass, focado no desenvolvimento de soft skills, com tutoriais e palestras de fotografia, arquitetura, design gráfico, economia, exploração espacial e até mesmo poker ou treinamento de cães. As aulas são ministradas por grandes referências do setor, como o renomado chef Gordon Ramsay, a editora-chefe da revista “Vogue” Anna Wintour e o ator Samuel L. Jackson. Já o Brilliant, apresenta problemas e cursos de matemática, finanças quantitativas, física e ciências da computação.

    Para os momentos de lazer, Grosso destaca o streaming de música TIDAL. A plataforma reúne mais de 70 milhões de composições, transmissão de shows ao vivo e eventos exclusivos com Will Smith, o cantor Miguel e uma celebração ao músico Prince. Em março de 2021, o rapper Jay-Z vendeu sua participação no aplicativo por quase US$ 300 milhões ao cofundador do Twitter, Jack Dorsey. Já o Kovver é uma plataforma de músicas que permite que o usuário toque e cante com o seu ídolo.

    Divulgação
  • Joyce Rodrigues, presidente da Mezzo Dermocosméticos

    Aplicativos mais usados: Instagram, Apple Fitness+, Telegram e Spotify

    O Instagram é um dos apps mais famosos do mundo: o queridinho das redes sociais foi o quinto mais baixado em 2020, segundo a consultoria de mercado AppAnnie. Em 2012, a rede social foi comprada pelo Facebook por US$ 1 bilhão, no mesmo ano em que a rede social foi disponibilizada para dispositivos Android. “Essa é a principal forma de comunicação da minha empresa com os clientes, pois acreditamos que oferecer informação de qualidade com fácil acesso também faz parte do trabalho e ideal como empresa. No Instagram, fazemos jornadas de lives para cada lançamento, educando o consumidor sobre a importância de cada produto e os detalhes das soluções”, explica Joyce.

    Para aumentar a disposição e o bem-estar, a executiva recomenda o Apple Fitness+, aplicativo de acompanhamento de exercícios físicos que oferece treinos personalizados para todos os níveis de habilidade na tela do iPhone, iPad ou Apple TV. “Uma rotina saudável me ajuda a ter um melhor desempenho no trabalho. Por isso, me exercito todos os dias por meio do app, logo pela manhã.” A plataforma reúne treinos de academia de diversos tipos, disciplinas e gêneros, incluindo bicicleta, corrida, remo, HIIT, ioga e dança, entre outros. “Logo depois, me sinto muito mais disposta, concentrada e pronta para todos os desafios do dia, para encará-los com determinação, leveza e sempre forte mentalmente.”

    De funcionamento semelhante ao WhatsApp, o Telegram é um serviço de troca de mensagens instantâneas. A diferença é que ele permite grupos de até 200 mil membros, possibilidade de ouvir áudios de forma acelerada e agendamento de postagens. No entanto, não há suporte para os stories nem videochamadas em grupo. “É uma ótima maneira de nos comunicarmos com os consumidores de forma mais aprofundada. Conseguimos dividir documentos e vídeos, além de nossas ações comerciais de forma direta e assertiva”, pontua.

    Por fim, Joyce destaca o uso do Spotify, que encerrou 2020 como o 12º aplicativo mais baixado por usuários do iPhone, e 29º do Android, segundo dados da RankMyAPP, empresa especializada em inteligência e performance mobile. De acordo com a executiva, além de apostar nas músicas para descontrair a rotina ao longo do dia, ela também utiliza o recurso para publicar o Joyce Cast, programa semanal em formato de áudio para compartilhar seus conhecimentos sobre cosmetologia e ciências farmacêuticas.

    Divulgação
  • Marcelo Oromendia, CEO da 3M no Brasil

    Aplicativos mais usados: Waze, WeChat e Microsoft Teams

    O WeChat é uma multiplataforma chinesa de mensagens instantâneas desenvolvida pela Tencent que fornece mensagens por voz, texto, videoconferência, compartilhamento de fotos e vídeos, jogos online e compartilhamento de localização. Como representante da 3M no Brasil, Marcelo Oromendia utiliza o WeChat para se comunicar diretamente com os colaboradores da multinacional na China.

    O executivo recomenda, ainda, o uso do Waze, pelo qual recebe dicas de itinerários ao redor do país e acompanha, em tempo real, as atualizações sobre o percurso, e do Microsoft Teams, que reúne, em uma plataforma de iOS, Android e browser, chats privados e em grupo, conversas em áudio e vídeo, calendários e armazenamento de documentos.

    Divulgação
  • Sergio Schuler, vice-presidente de nutrição e saúde animal da DSM

    Aplicativos mais usados: Microsoft Teams, Outlook Mail, Gympass, LinkedIn, Wallet, iFood e Rappi

    Em tempos de pandemia, o principal aplicativo utilizado por Sergio Schuler é o Microsoft Teams. A plataforma combina bate-papos, videoconferências, armazenamento de arquivos e lista de tarefas. Ele também sugere o uso do Outlook Mail, servidor gratuito de webmail criado pela Microsoft, além do WhatsApp, Google Chrome e Waze.

    Outro aplicativo que não sai das mãos de Schuler é o Gympass, que conecta academias ao serviço de benefícios das empresas para oferecer uma rede mundial de parceiros de fitness e bem-estar. A plataforma reúne aulas online ao vivo em mais de 600 academia e estúdios e acesso ilimitado a aplicativos de saúde, meditação, sessões de terapia e planos de nutrição sob medida. Os planos de assinatura variam de R$ 39,90 a R$ 549,90.

    Como profissional, ele recomenda, ainda, o uso do LinkedIn, plataforma mundial que conecta pessoas e empresas para fortalecer a rede de contatos, anunciar vagas, procurar empregos e apresentar portfólio; e do Wallet, plataforma desenvolvida pela Apple que funciona como uma carteira digital para que os usuários armazenem cupons, cartões de embarque, ingressos para eventos, cartões de crédito e débito, entre outros.

    Por fim, Schuler indica os aplicativos de delivery iFood e Rappi, que reúnem milhares de restaurantes, bares, supermercados e lojas de conveniência.

    Divulgação

Antonio Setin, fundador e CEO da Setin Incorporadora

Aplicativos mais usados: Empiricus, WhatsApp, Waze, Uber e Deezer

Com o intuito de acompanhar o mercado financeiro, principalmente os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário), Setin utiliza o Empiricus Investimentos. Direcionada para pessoas físicas, a plataforma reúne cursos gratuitos sobre ações, renda fixa, criptomoedas, fundos imobiliários e de investimentos. Com ela, o executivo pode acompanhar diariamente as cotações de ações e outros ativos negociados na Bolsa de Valores, ler notícias sobre o mercado nacional e internacional e, ainda, receber sugestões para multiplicar seu patrimônio.

Para tornar sua rotina mais prática e ágil, o executivo também aposta nos clássicos. Fundado em 2009 e adquirido pelo Facebook em 2014, o WhatsApp possui cerca de 2 bilhões de usuários ativos em mais de 180 países, segundo dados da própria ferramenta. A plataforma permite o compartilhamento de arquivos de texto, foto, vídeo, documentos e localização, além das chamadas de voz e vídeo. Recentemente, o WhatsApp deu o próximo passo no âmbito das inovações tecnológicas,e relançou os serviços de transferência de dinheiro entre indivíduos de todo o Brasil.

LEIA MAIS: WhatsApp relança transferência de dinheiro no Brasil

A lista dos apps mais usados por Setin também inclui o streaming de música Deezer e as plataformas de mobilidade urbana Uber e Waze – a primeira conecta usuários a motoristas parceiros, enquanto a segunda oferece instruções de trajetos, mapas de trânsito ao vivo e alertas de acidentes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).