Suspeitos de ataque hacker a dutos nos EUA dizem que não queriam gerar transtorno

Após tentativa de extorsão digital, Colonial Pipeline decidiu fechar sua rede, o que pode gerar interrupções no suprimento de gasolina.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Kacper Pempel/Reuters
Kacper Pempel/Reuters

Grupo hacker DarkSide é o principal suspeito da tentativa de extorsão digital contra a Colonial Pipeline, empresa americana de combustíveis

Acessibilidade


Um comunicado divulgado hoje (10) em nome do grupo hacker suspeito de ter planejado um ataque a uma importante operadora de oleodutos nos Estados Unidos, em incidente que ameaça o suprimento de combustíveis na costa leste norte-americana, afirmou que o objetivo da ação era apenas fazer dinheiro, e não gerar problemas para a sociedade.

O grupo, que se denomina DarkSide, é o principal suspeito da tentativa de extorsão digital praticada contra a Colonial Pipeline, companhia responsável pelo transporte de boa parte dos combustíveis que chegam à costa leste dos EUA.

LEIA TAMBÉM: Vazamento da Apple explica choque com o iPhone 13

O ataque com um ransonware levou a empresa a fechar sua rede, o que pode potencialmente gerar interrupções no suprimento de gasolina devido aos impactos sobre entregas do produto.

O curto comunicado divulgado pelo DarkSide, publicado em seu site, não mencionou diretamente a Colonial Pipeline, mas era intitulado: “sobre as últimas notícias”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Nosso objetivo é ganhar dinheiro, e não criar problemas para a sociedade”, escreveu o grupo no texto, sem detalhar quanto dinheiro pretendem levantar.

O DarkSide disse que seus hackers enviarão alertas para cibercriminosos parceiros visando “evitar consequências sociais no futuro”.

Os hackers não responderam diversas mensagens enviadas por meio de seu site com pedidos de comentários. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: