Tesla define local para guardar dados coletados por seus carros na China

A empresa também anunciou que expandirá sua rede de centrais de processamento de dados no país.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Thomas Peter/Reuters
Thomas Peter/Reuters

Maior mercado de automóveis do mundo e o segundo maior para a Tesla, a China está elaborando regras para garantir a segurança dos dados gerados por veículos conectados

Acessibilidade


A fabricante de veículos elétricos Tesla disse hoje (25) que definiu um local na China para armazenar localmente dados produzidos por seus carros.

A Tesla disse no site chinês de rede social Weibo que os dados gerados por todos os carros que vende na China, onde está fabricando o sedã Model 3 e utilitário esportivo Model Y, serão armazenados no país. A Tesla também anunciou que expandirá sua rede de centrais de processamento de dados na China.

LEIA MAIS: Tesla negocia com chinesa EVE para baterias de baixo custo

Maior mercado de automóveis do mundo e o segundo maior para a Tesla, a China está elaborando regras para garantir a segurança dos dados gerados por veículos conectados, à medida que sua crescente popularidade alimenta preocupações com privacidade e segurança nacional.

Funcionários de alguns escritórios do governo chinês foram instruídos a não estacionar veículos Tesla dentro de complexos do governo devido a preocupações sobre as imagens captadas pelas câmeras dos veículos, disseram à Reuters duas pessoas com conhecimento do assunto na semana passada.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na semana passada, a vice-presidente da Tesla, Grace Tao, junto com executivos da Baidu e Alibaba, participou de uma discussão política realizada por um grupo chinês sobre segurança de dados.

A Tesla está desenvolvendo uma plataforma para donos de automóveis na China que lhes permitirá acessar dados gerados por seus veículos. Também está aumentando seu envolvimento com os reguladores do país e reforçando equipe de relações com o governo, disseram fontes à Reuters. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: