Com dark store, Marisa reduz tempo de entrega em 30% em São Paulo

Tima Miroshnichenko/Pexels
Tima Miroshnichenko/Pexels

Com redução no tempo de entrega e nos custos de frete, a Marisa pretende expandir o modelo de dark store  para outros estados até o primeiro trimestre de 2022

Frente aos desafios da pandemia de Covid-19, a rede varejista de moda feminina Marisa tem investido na ampliação de seus canais digitais. A criação de dark stores – centros de distribuição exclusivos para atendimento dos pedidos realizados no e-commerce – é uma das iniciativas da marca para diminuir custos e melhorar a velocidade de entrega dos produtos para os clientes. Com exclusividade à Forbes, a empresa compartilhou os primeiros resultados do projeto.

Montada em fevereiro deste ano em Itaquaquecetuba (SP), a dark store da Marisa é um anexo do maior centro de distribuição da companhia. A operação, no entanto, possui colaboradores e dinâmicas de entrega exclusivas para os pedidos feitos pelas plataformas digitais, como o e-commerce, o aplicativo e o WhatsApp. Com o foco totalmente dedicado especificamente à distribuição dos pedidos online, a marca de moda feminina conseguiu diminuir em 30% o prazo de entrega para o estado de São Paulo e reduzir os custos com frete em 18% na comparação com as entregas tradicionais.

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

O resultado é motivo de otimismo para o diretor de logística e engenharia da varejista, Rafael Rocha, que já esboça planos de ampliar o número de dark stores ainda em 2021. “Vamos expandir essa operação para outros pontos do estado de São Paulo, além de iniciar uma operação em Minas Gerais este ano, que é o nosso segundo ponto de maior concentração de vendas do e-commerce”, diz. Para o primeiro trimestre de 2022, a rede de moda feminina pretende desenvolver esses centros de distribuição exclusivos no Rio de Janeiro e na Bahia.

Com um estoque que abarca mais de 20 mil tipos de produtos, o modelo de dark stores da Marisa prioriza as peças de roupas que são mais comercializadas nas plataformas digitais. “São áreas consideráveis de armazenamento, onde deixamos os principais produtos para garantir a velocidade de entrega”, diz Rocha. “Queremos que todo o processo – desde o clique para fazer o pedido até a entrega na casa da cliente – seja realizado em um período entre 24 e 48 horas.” Segundo ele, a eficiência logística apresentada pelo projeto aumentou o nível de satisfação dos consumidores, o que alavancou as vendas da empresa. “O faturamento nesse novo modelo tem crescido dois dígitos por mês.”

VEJA TAMBÉM: Com foco no digital, Marisa quer ser a plataforma da mulher conectada

Para atender ao período máximo de entrega, a dark store da Marisa funciona das 6h à 0h todos os dias, exceto aos domingos, conta Rocha. “Queremos que os produtos cheguem o mais rápido possível às mãos dos clientes, e isso faz parte da nossa estratégia de ampliação de canais de venda”, afirma. “Quem não quer pedir um produto hoje e recebê-lo no dia seguinte? Esse é o motivo do plano para as dark stores.” A meta, segundo ele, é de que esse modelo logístico seja responsável por 30% dos pedidos entregues pela marca até o final de 2022.

A redução no custo do frete também é vista como uma questão importante do projeto de dark stores da Marisa. “Além dos índices de satisfação, esse é outro indicador que acompanhamos muito de perto.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).